Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

segunda-feira, agosto 20, 2018

Chateau Giscours e Chateau du Tertre - Reportagem especial em Margaux





Mais uma reportagem especial na margem esquerda de Bordeaux.
Dessa vez visito dois Grand Cru de Margaux de um mesmo proprietário.
Chateau Giscours e Chateau du Tertre.


sexta-feira, agosto 17, 2018

Sauternes, Barsac e Côtes de Bordeux com Jean-Jacques Dubourdieu





Foi uma tarde entre os vinhedos de Côtes de Bordeeaux, Sauternes e Barsac, numa reportagem feita em 2015, exibida em partes e agora tudo num mesmo vídeo.
A família Dubourdieu é conhecida por revolucionar o mercado com brancos excelentes de Sauvignon Blanc.
O Jean-Jacques respira vinho.
Assista:



quinta-feira, agosto 16, 2018

Reportagem especial no Chateau Lynch Bages - Grand Cru Classe de Pauillac





Foi em bom português que fui recebido pelo Jean-Charles Cazes.
Ele viveu em São Paulo e é filho de portuguesa.
Com a aposentadoria do pai o grande Jean-Michel Cazes, Jean Charles assumiu o negócio da família em 2006 e conseguiu manter a excelência dos vinhos.
Assista a reportagem!

quarta-feira, agosto 15, 2018

Reportagem especial no Grand Cru Classé Smith Haut Lafitte, em Bordeaux





Visitar o Smith Haut Lafitte é sem dúvida uma grande experiência.
É um complexo de enoturismo impressionante.
O hotel Spa Les Sources de Caudalie, um restaurante 2 estrelas Michelin, obras de arte e um vinho fantástico.



segunda-feira, agosto 13, 2018

Caixas de vinhos que viram gavetas, objetos de decoração e marchetaria... Tudo reciclado.





A iniciativa é da sommelière Eliana Araújo, que conseguiu transformar em arte objetos que iriam para o lixo.
Os objetos são lindos e a atitude admirável.
Conversei com ela no evento da Wines of Chile.


sexta-feira, agosto 10, 2018

Entrevista com o Gonzalo Guzman, da Viña El Principal e avaliação do Memorias 2014.










A Wines of Chile fez sua degustação anual em São Paulo apresentando novas safras e algumas novidades.
Os vinhos da Viña El Principal sempre me agradam.
Esse ano eles mostraram o Memorias 2014, elaborado com uvas de Maipo Andes.
Corte de 63% Cabernet Sauvignon, 22% Syrah e 15% Petit Verdot.
Passou 17 meses em barricas francesas.
Um vinho elegante desde o rótulo, a garrafa, os primeiros aromas...
Notas de cassis, amora, compota de goiaba, café, amêndoa, chocolate, especiarias...
Na boca é encorpado, tem os taninos sedosos, bom equilíbrio com a acidez e persistência.
É um vinho delicioso, para tomar com calma, desses que e eu prefiro tomar sem comida, ele se basta.
Nota: 93
Preço: 320 Reais
Importadora: Decanter  https://www.decanter.com.br/memorias-el-principal-2014
O vinho é um dos top5 do Encontro de Vinhos de Campinas, que acontece amanhã www.encontrodevinhos.com.br
Conversei com o enólogo Gonzalo Guzman sobre o estilo clássico da Viña El Principal e sobre o Verdejo que conheci ainda no pé.


quinta-feira, agosto 09, 2018

Entrevista com Marcelo Papa - Diretor técnico da Viña Concha y Toro





Marcelo Papa é o diretor técnico da Viña Concha y Toro.
Por ele passam vinhos desde a linha mais simples até os mais caros e complexos.
Ele lida com o desafio de controlar a qualidade dos vinhos de um dos maiores grupos do mundo.
Na apresentação da Wines of Chile, ontem em São Paulo, ele escolheu mostrar um clássico.





O Marques de Casa Concha Etiqueta Negra 2016 é um corte de Cabernet Sauvignon 60%, Cabernet Franc 32% e Petit Verdot 8%.
Os vinhedos ficam em Puente Alto, no Vale do Alto Maipo.
No nariz tem boa intensidade aromática, com notas de cassis, pimentão verde, grafite e tabaco.
Na boca é seco, encorpado, tem os taninos muito macios, boa acidez e equilíbrio.
É um vinho elegante e clássico.
Final persistente com um gostoso sabor de cacau.
Nota: 92
Preço: 250 Reais

Assista a entrevista:

quarta-feira, agosto 08, 2018

Ruca Malén muda a imagem e apresenta vinhos com boa relação preço/qualidade





A vinícola fundada em 1998, a Bodega Ruca Malén sempre foi conhecida pelo seu restaurante e o menu harmonizado que eles servem até hoje.
Muitas vezes ouvi os comentários de que a comida era melhor do que o vinho.
Hoje a comida continua a mesma, mas o vinho melhorou muito.



Em 2015 foi vendida para outro grupo que entre outras coisas, veio com a consultoria do grande Paul Hobbs e uma nova equipe de enologia.



Nessa nova equipe está Noelia Torres, que foi eleita a melhor enóloga abaixo dos 40 anos no concurso Wine Maker, na Argentina.
Eu conversei com ela.





Mesmo que os vinhos ainda não sejam fruto do trabalho de Noelia, o que provei, foram vinhos modernos, valorizando mais a fruta do que o estágio em madeira, e principalmente preços atraentes que começam com um belo rosé de 54 reais e chegam ao elegante Terroir Series de 120.




O Rosé Aimé 2017 é um corte de Syrah e Malbec.
Boa intensidade aromática no nariz, com notas florais e de frutas vermelhas.
A cor é bem clara, lembrando casca de cebola.
Na boca tem uma sensação de doçura, mas é seco.
Tem taninos quase imperceptíveis e uma acidez que combina bem com a sensação adocicada.
Tem corpo ligeiro e média persistência.
Nota: 88 Pontos
Preço: 54 Reais
Importador: http://www.lapastina.com/




O Ruca Malén Cabernet Sauvignon 2016 tem boa intensidade aromática, notas de cassis, amora e um toque mentolado.
Na boca é seco, encorpado, taninos bastante macios e uma acidez salivante.
Boa intensidade de sabor, bom equilíbrio e persistência.
Nota: 89
Preço: 74 Reais
Importador: http://www.lapastina.com/




O Terroir Series Malbec 2015 passou 12 meses por barrica, mas nem por isso foge da proposta apresentada.
No nariz as notas de amora e violeta se destacam e um toque de especiarias e um leve aroma de coco dão o sinal de vida da passagem por madeira.
Na boca é seco, encorpado, taninos com excelente textura, bastante macios e aveludados, boa acidez, boa intensidade de sabor e persistência.
No final aparece uma nota apimentada bastante interessante.
Nota: 91
Preço: 120 Reais
Importador: http://www.lapastina.com/


Aproveito para mostrar a reportagem que fiz junto com o Daniel Perches, em 2011, numa série chamada "Na Estrada do Vinho".
Visitamos e provamos o menu harmonizado da Ruca Malén.

terça-feira, agosto 07, 2018

Fração Única Pinot Noir 2018 - Casa Perini - Serra Gaúcha - Brasil





Pinot Noir bem característicos com notas de morango, framboesa e no caso deste, notas canela, coco e baunilha.
O vinho passou 6 meses em barricas de carvalho francês e americano.
Na boca tem corpo médio, boa acidez e taninos macios.
Tem boa intensidade de sabor, com as notas sentidas no nariz se repetindo muito bem integradas.
Persistência média.
Nota: 88
Preço: cerca de 60 reais.
Produtor: Casa Perini http://www.casaperini.com.br/produtos/casa-perini-fracao-unica/casa-perini-fracao-unica-1/fracao-unica-pinot-noir-vinho-tinto-seco-fino

segunda-feira, agosto 06, 2018

Morreu o chef Joël Robuchon




Um dos principais chefs do planeta morreu hoje.
Ao longo da vida o francês Joël Rebouchon recebeu 32 estrelas do Guia Michelin.
Ele estava com câncer e tinha 73 anos.

sexta-feira, agosto 03, 2018

Garrafa de linho e resina de árvore parece o Chianti da palhinha, mas é alta tecnologia sustentável.




Parece a velha garrafa de Chianti com aquela palhinha em volta, mas não é.
É o trabalho da empresa Green Gen Technologies de Toulouse (França), no projeto chamado por eles de "Uma geração verde".
A garrafa se chama GreenGenBottle.
Enquanto assistimos o mundo sendo destruído em nome de lucros absurdos a tecnologia consciente lança alternativas.
O vidro das garrafas é lindo, mas é o material mais caro para ser reciclado. Não interessa a ninguém.
Tentei várias vezes doar as garrafas usadas no Encontro de Vinhos, que é uma feira que organizo, mas nunca tive um interessado.
Vão todas para o lixo.
Outro dia ví uma reportagem sobre a reciclagem do vidro para a produção de bolinhas de gude.
É muito pouco.
A bolinha de gude está em extinção pelo simples fato das brincadeiras juvenis estarem monopolizadas pelo uso da tecnologia da internet, que eu mesmo estou utilizando nesse momento para passar essa informação.
A garrafa verde, é feita com linho e resina de árvore. Zero Vidro.
A resistência é infinitamente maior, inquebrável numa queda simples.
Cabe em todas as linhas de engarrafamento.
Aguenta a temperatura, pressão, umidade e até 60% de teor alcoólico.
O peso da garrafa é de 190 gramas, muito mais baixo do que o mínimo de 300 e máximo de 1 kg da garrafa tradicional.
Biodegradável a partir do momento que for esmagada.
A emissão de carbono será próximo de valores negativos.
A empresa precisa de 2 milhões e meio de Euros para produzir o mesmo número de garrafas por ano.
Eu vejo algumas desvantagens, como a segurança sobre o tempo de duração, o preço, que se nos basearmos no valor informado para produção a garrafa seria cara para o produtor, que certamente utilizaria para vinhos de entrada de gama, pelo menos por enquanto e a própria imagem da garrafa.
Mas se a garrafa ajuda a diminuir as agressões que fazemos diariamente ao nosso planeta, já vale muito a pena.


Fontes: 
Agence France Presse
La Revue du Vin de France
Vitisphere.com

quinta-feira, agosto 02, 2018

Custo/Qualidade do Dolcetto D'Alba La Costa 2016




Esse vinho produzido pela Azienda Agricola Piero Benevelli de forma sustentável, é uma boa opção para quem quer um bom Docetto.
Lembrando que a Dolcetto é uma das uvas do Piemonte, na Itália, e é uma DOC (Denominação de Origem Controlada) importante.
O vinho tem aromas bem intensos de frutas frescas, como mirtilo, amora, cereja e também um toque de alcaçuz.
Na boca tem os taninos super macios e uma acidez maravilhosa.
É um vinho de corpo médio, com equilíbrio muito bom e sabor intenso, repetindo as notas sentidas no nariz.
Tem boa persistência.
Nota: 90
Preço: 78 Reais
Importador: https://www.wines4u.com.br/la-costa-dolcetto-d-alba-2016-azienda-agricola-piero-benevelli.html


quarta-feira, agosto 01, 2018

El Enemigo Chardonnay 2016 - Bodega Aleanna - Tupungato (Mendoza) - Argentina





Aleanna é uma feliz sociedade entre o enólogo Alejandro Vigil e Adrianna Catena.
Alejandro é um dos grandes nomes do mundo do vinho e Adrianna é filha de Nicolás Catena, que dispensa apresentações.
É um Chardonnay fermentado em barricas, onde o vinho ficou em contato com as leveduras.
No nariz os aromas vão surgindo com o tempo na taça.
É um vinho para desfrutar, beber com calma, aproveitando cada momento.
Notas de leveduras, pera, baunilha, manteiga, avelã…
Grande vinho!
Na boca é untuoso, encorpado, tem boa acidez e sabor intenso, com os sabores da madeira, das leveduras e da fruta em perfeita harmonia.
Um toque salino aparece no final de boca.
Persistente e grandioso.
Nota: 95

terça-feira, julho 31, 2018

Encontro de Vinhos Campinas transferido para 11 de Agosto





O Encontro de Vinhos Campinas, que acontece na Praça Carlos Gomes, se rendeu aos meteorologistas e transferiu a feira para o próximo dia 11. A feira que aconteceria neste sábado, será no sábado da semana que vem.
Música, espaço kids, vinhos, queijos e comidas combinam muito melhor com sol.
Ingressos no site: www.encontrodevinhos.com.br

Conheça o solo perfeito para a Carménère, em Peumo (Chile).





Quando visitei a Viña La Rosa, em Peumo, pedi para ver o solo ideal para a Carménère.
Segundo o enólogo e o viticultor da Viña La Rosa, o melhor solo é esse que eles mostram no vídeo.




segunda-feira, julho 30, 2018

Maturana Wines 2012 - Gran Reserva - Vale do Cachapoal - Chile





Conheço muita gente que não gosta da Carménère.
Eu concordo que muitas regiões chilenas não deveriam produzir a uva pela simples razão da uva precisar de um terroir específico, principalmente um solo específico.
Esse vinho elaborado com 80% Carménère e 20% cabernet Sauvignon.
Passou 13 meses em barricas de carvalho francês.
Só 5435 garrafas foram produzidas.
Tem cor rubi intenso.
No nariz frutas vermelhas frescas. Cereja, cassis, tabaco e chocolate
Na boca è encorpado, taninos bem presentes, mas muito macios. Excelente acidez, álcool b equilibrado e persistência longa.
Leve defumado no final.
Um super vinho!
Nota: 94
Importador La Cristianini - www.lacristianini.com.br
Preço: 450,00
Visitei a Maturana Wines em 2014.
Assista a reportagem que fiz por lá:



sexta-feira, julho 27, 2018

Testei 3 vinhos importados abaixo dos 35 reais.





Fui ao supermercado Extra em São Paulo e escolhi 3 vinhos importados abaixo dos 35 reais.
Na verdade o mais caro custava menos de 32 reais.
Veja o que aconteceu:


quarta-feira, julho 25, 2018

Dei de cara com um vinho da uva Serine. E descobri que era uma velha conhecida.





Era um vinho do Rhône e eu até imaginei que era uma velha conhecida.
Era apenas um sinônimo.
A Syrah teve muitos nomes na sua terra natal.
Em 1781 era só uma uva local, não havia muita divulgação em torno do nome da uva e não havia muita divulgação em relação a nada.
Em Hermitage, no vale do Rhône, a Syrah foi primeiro chamada pelo nome Sira, depois Sirane, depois Serine.
Serine é um nome que sobrevive no Rhône.
Muitos produtores dão esse nome para um clone diferente, que eles juram ser a Serine e não a Syrah.
Outras histórias não comprovadas dizem que a Syrah veio da Pérsia (hoje Irã), da cidade que tinha o nome Shiraz ou Chiraz. Teria sido trazida para o Vale do Rhône entre 1095 e 1291.
Do Oriente Médio, a Syrah teria passado pela Grécia.
Também a Siria jura que seu nome vem da uva nativa Syra (ou Syros).
Os sicilianos, onde a Syrah até hoje mostra boa expressão, também garantem que a cidade de Siracusa tem esse nome por causa da uva, que estaria por toda parte nos anos 200 depois de Cristo e teria sido transportada para Lyon pelo imperador romano Probus, em 281.
Mas o tal DNA resolveu a questão.
Em 1998 os exames garantiram: A Syrah é fruto de um cruzamento natural entre a Mondeuse Blanche e La Dureza, na região do vale de Isère.
A árvore genealógica está na foto acima.



Isère fica cerca de 150 km de Hermitage, provavelmente ela seguiu pelo Rio Isère.
Convencer os pais de que a Syrah não é filha deles, é outra história...
Visitei Cornas (Rhône), onde a Syrah é a única variedade permitida, conheci o museu do chocolate Valrhona e andei pelos vinhedos da Laure Colombo.
Vale muito a pena assistir a sequência de vídeos:



terça-feira, julho 24, 2018

De onde surgem os aromas do vinho? É imaginação ou química?






Quem no mundo do vinho não enfrentou essa pergunta?
-Colocam chocolate no vinho? Por isso esse aroma?
A resposta é simples, mas complicada. Simples por ser direta e precisa como é a química. Complicada por ser química, uma matéria que só perde para a física e a matemática entre as matérias mais temidas pelos alunos.
Mas é a química que explica esses aromas e provam que o degustador não está num mundo de fantasia quando fala nesses aromas (pelo menos em boa parte das vezes, marcianos estão entre nós).
Vamos lá:




Ésteres (produto formal da reação de um oxiácido com um álcool, fenol, heteroarenol ou enol, pela perda formal de água, formada pelo hidrogênio ácido do primeiro com o grupo hidroxila do segundo).
O Ésteres são os responsáveis pelos aromas florais e frutados.
Simplesmente por estarem presentes também em algumas flores (principalmente jasmim) e algumas frutas assim como no vinho que está na nossa taça.




Pirazina
É um composto orgânico heterocíclico e aromático com a fórmula C4H4N2. Pirazina é uma molécula simétrica com grupo pontual de simetria D2h.
As pirazinas são compostos orgânicos aromáticos responsáveis ​​pelos aromas herbais ou vegetais, como a gramínea ou a nota de pimenta. Cabenet Franc, Cabernet Sauvignon e a Sauvignon Blanc estão cheios desse composto.
3 variedades da mesma familia.
O pirazino pode ter aromas mais profundos como chocolate e café, é também um dos seus compostos aromáticos fundamentais.



Terpenos
Os terpenóides ou terpenos, por vezes designados por isoprenóides, são compostos que integram uma diversificada classe de substâncias naturais, ou metabólitos secundários de origem vegetal, especialmente das coníferas, de fórmula química geral (C5H8)n.
O vinho floral deve seu buquê aos terpenos. Alguns exemplos de terpenos são rosa e lavanda, mas também podem cheirar a resina ou herbácea (como no lúpulo).
O Linalol, é um dos terrenos mais encontrados nos vinhos, ele traz além dos florais, notas amadeiradas, mesmo se o vinho não passar por madeira.
O geraniol e o citronelol, estão presentes nos aromas de rosas.




Tióis
São os análogos do enxofre de álcoois (ou seja, o enxofre toma o lugar do oxigênio no grupo hidroxila de um álcool), e a palavra é uma amálgama de "tio" + "álcool," com a primeira palavra derivando do grego θεον ("thion") = "enxofre".)
Alguns tióis são responsáveis por aromas desagradáveis no vinho (alho e lã molhada).
Aromas de giz, café torrado, fumo e chocolate são provocados pelos tióis.




Geosmina 
é uma substância química, um composto orgânico produzido pela bactéria Streptomyces coelicolor, espécie de actinobactéria presente no solo e que são normalmente detectáveis quando o chão fica molhado, por exemplo, quando chove.
Dá aos vinhos um aroma característico como cogumelos ou o sabor de terra de beterraba.




Lactonas
Se você sentir o cheiro de baunilha, nozes ou coco, as lactonas são responsáveis. Eles são um subconjunto de ésteres e são fáceis de encontrar em certos vinhos que ficaram em contato com barricas de carvalho.
Notas picantes, tostadas e de caramelo também estão ligadas a lactonas e furanonas.
Mais de 20 lactonas já foram encontradas em vinhos.




Rotundona
Quando você cheira a perfume picante a rutandona é a culpada. 
É um terpeno encontrado também nos óleos essenciais de pimenta preta, manjerona, orégano, alecrim, tomilho e manjericão.



Cetonas
Provoca um odor doce, amanteigado e lácteos fermentados (queijo ou iogurte).


segunda-feira, julho 23, 2018

Moulin de Gassac Pinot Noir 2016 - Mas de Daumas Gassac - Languedoc-Roussillon - França









Visitei o Mas de Daumas Gassac e pude comprovar o trabalho fantástico que a mente brilhante de Aîmé Guibert foi capaz de realizar.
Ele era desses caras raros, que fogem da tradição para fazer algo melhor, aproveitando nesse caso, um terroir raro, encontrado por acaso.
Entre os vinhedos criados por ele, existem muitas variedades.
Esse Pinot Noir segue a linha frutada, sem passagem por madeira valorizando os aromas de cereja, framboesa e morango. Frutas frescas, notas florais e de ervas aromáticas.
Na boca tem corpo médio, é seco e taninos granulados, com uma ótima acidez deixando a boca salivante e um final persistente com notas de cereja.
Nota: 90
Preço: 137,82
Importadora: Mistral - https://www.mistral.com.br/p/vinho/moulin-de-gassac-pinot-noir-2016-mas-de-daumas-gassac

Para quem não viu a reportagem sobre a minha visita ao Mas de Daumas Gassac, compartilho o playlist com todos os capíulos. vale a pena assistir:


quinta-feira, julho 19, 2018

La Loggia del Cavalieri - Taurasi Riserva DOCG 2011 - Campania - Itália






O Taurasi é o grande vinho do sul da Itália.
É elaborado com a variedade Aglianico (mínimo 85%), deve envelhecer 3 anos, com pelo menos 1 ano em carvalho.
No caso do Riserva, o tempo de estágio sobe para 48 meses, com o mínimo de 18 em madeira.
Esse eu provei na semana passada no dia em que entrevistei o Michele Di Gregorio, que faz parte da família que produz os vinhos da Tenuta Cavalier Pepe.
Passou 24 meses em barricas francesas, mais 24 meses em tanques de aço inoxidável e 1 ano em garrafa.
O vinho tem cor rubi, bem concentrado.
No nariz, notas de amora, grafite, alcaçuz e cedro.
Na boca é encorpado, tem taninos firmes, mas com textura macia, boa acidez, equilibrado, tudo no lugar.
Um vinho com sabor intenso, que repete as notas sentidas no nariz e uma excelente persistência com notas de especiarias.
Nota: 92
Preço: em torno de 650 reais.

quarta-feira, julho 18, 2018

Taurasi, o Barolo do sul.





Conveersei com o Michele Di Gregorio sobre a Tenuta Cavalier Pepe, da Campagna, e sobre o Taurasi, o Barolo do sul.


segunda-feira, julho 16, 2018

Dica de restaurante em Cascais. Taberna Económica, com dona brasileira.





A Taberna Económica de Cascais é bastante tradicional na cidade. Há 5 anos, uma brasileira que chegou para tentar a vida no país, começou como funcionária e hoje é dona do lugar.
Uma boa dica para comer bem e barato os pratos tradicionais da cozinha portuguesa.



quinta-feira, julho 12, 2018

Guaspari Sauvignon Blanc 2013 - Espírito Santo do Pinhal/SP, Brasil






Eu provei o 2012 e não tinha gostado tanto quanto este. Isso foi logo que lançaram o Sauvignon Blanc da Guaspari. Esse vinho tem um estilo diferente, com passagem de uma parte dos vinhos em barrica de carvalho, que é uma coisa pouco para os Sauvignon Blanc do novo mundo. Entre as barricas e os tanques, o vinho ficou 12 meses amadurecendo na vinícola, inclusive com o uso dos modernos ovos de concreto. No nariz notas de pêssego, grama cortada e aspargos. Na boca é ainda mais interessante. Tem bom corpo, é untuoso e fresco. É um vinho elegante e equilibrado. O sabor repete as notas sentidas no nariz, mas traz também um toque cítrico, lembrando o maracujá e um toque mineral, salino. Nota: 90. Preço na faixa dos 100 reais. Ainda não visitei vinícola em Espírito Santo do Pinhal, sempre que encontro alguém que tenha visitado escuto muitos elogios ao trabalho da vinícola. Portanto, um bom passeio para esse inverno, que é a época em que fazem a colheita: https://loja.vinicolaguaspari.com.br/enotour/ 

quarta-feira, julho 11, 2018

De onde saem as uvas do Clairet? Visitei dois autênticos Vignerons





Na última parte da reportagem sobre o Clairet de Bordeaux e sobre a histórica Cave de Quinsac, visitei dois produtores de uvas da Cooperativa.
Eles explicam que a maturação na colheita deve ser diferente para os Clairet's.






terça-feira, julho 10, 2018

Charles de Gaulle e o artista Charazac fazem parte da história da Cave de Quinsac




O chef de cave Thierry Berthelot explicou como se faz o Clairet dentro de sua cuba com serpentina e fundo desnivelado.
A importância da Cave de Quinsac, pode ser medida também por seus visitantes ilustres.
Charles de Gaulle provou uma taça de Clairet e o pintor Robert Charazac deixou um belo afresco de presente.


segunda-feira, julho 09, 2018

Clairet é a especialidade da Cave de Quinsac.






hoje mostro a vinícola da Cave de Quinsac.
Uma vinícola para uma produção gigante, toda destinada ao mercado francês.


quinta-feira, julho 05, 2018

Conhece o Clairet de Bordeaux? É um estilo com 700 anos de história





Visitei a Cave de Quinsac, que produz o Bordeaux Clairet desde 1950 quando o grande Émile Peynaud fazia parte da equipe de enologia da cooperativa e criou a AOC Bordeaux Clairet e Capital do Clairet. A Cave de Quinsac reproduz a história de um vinho que existe há 700 anos.
Entrevistei o chef de cave, que explicou todos os detalhes do Clairet.





quarta-feira, julho 04, 2018

Miolo Cuvée Giuseppe Chardonnay 2015 - Vale dos Vinhedos - Brasil






Esse vinho foi fermentado em barricas e depois da fermentação ainda ficou 12 meses em carvalho francês passando por bâtonnage para misturar as borras finas com o vinho, dando mais cremosidade e complexidade.
No nariz essa madeira está presente, mas com muita classe. Se percebe uma barrica de boa qualidade e um trabalho bem feito, que consegue manter as notas frutadas principalmente de pêssego e pera.
Na boca é seco, tem corpo, é untuoso e equilibrado.
A acidez dá a leveza e o frescor que esse tipo de vinho precisa.
O sabor repete as notas sentidas na boca, acompanhado com um toque de pão e mel.
Vinho persistente, elegante e equilibrado.
Nota: 90
Preço: cerca de 120 reais.
Produtor: Miolo https://loja.miolo.com.br/produto/vinho-miolo-cuvee-giuseppe-chardonnay-d-o-safra-2015-750ml-69752?gclid=CjwKCAjw4PHZBRA-EiwAAas4ZkqSRycfFHMqjA4P2xGD8PIdold5UG9qf1aFQS4MS22zq81KMOgL6RoCZxYQAvD_BwE

terça-feira, julho 03, 2018

Chile exportou 2 bilhões de dólares em vinho em 2017






Com uma produção de 1 bilhão de 200 milhões de litros em 2017, o Chile exportou 2 bilhões de dólares em 2017 e espera crescer 6% em 2018.
Sabe quais são os principais mercados?
Brasil e China.
O dado mais interessante é sobre as variedades de uva dos vinhos exportados.
35% Cabernet Sauvignon, 15% Sauvignon Blanc, 12% Merlot e apenas 9% de Carménère, outras variedades 29%.
Uma prova de que a Carménère não é de fato uva emblemática do Chile.


 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis