Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

segunda-feira, agosto 15, 2016

Um bate e volta para Mendoza e a co-fermentação da Vicentin.





Foi nesse cenário que chegamos até a Carola Tizio, filha do grande Carlos Tízio, o primeiro mendocino a cursar na universidade de Davis, na Califórnia.
O assunto principal foi a co-fermentação.
Explico.
Normalmente se colhem as uvas e fermentam cada variedade em um tanque, antes do corte.
Exceções existem, como por exemplo, os produtores do douro, que usam parcelas de vinhas velhas plantadas diversas variedades juntas e vinificam todas no mesmo tanque e colhem todas juntas, mesmo que alguma tenha maturação mais adiantada ou atrasada.
Em Mendoza, Matías Michelini, faz alguns vinhos (o Demente é um deles), com as variedades fermentando juntas.
Carola é bem técnica, bem confiante nos trabalhos que participou na universidade de Davis, e foi isso que descobrimos em Agrelo.
Veja a reportagem, que fiz junto com o amigo Breno Raigorodsky, que inclusive, narrou a reportagem:





domingo, agosto 14, 2016

O Vinho e a Pintura - Giacomo Cardelli





Título: Dal Giorno alla Notte

quinta-feira, agosto 11, 2016

Vinhos Bráz produzidos pela Salton para a rede de pizzarias e tratoria.





A Salton e a Bráz acertaram em cheio.
Um Cabernet Sauvignon de 78 reais, acompanha pizzas, massas e deixa o cliente feliz.
A rede de pizzarias que também tem uma tratoria em São Paulo, já vendeu, antes mesmo do lançamento oficial, 500 garrafas do vinho.
O cliente pode pedir taça, meia garrafa (no decanter) ou garrafa inteira.
O vinho tem predominância de frutas vermelhas e corpo médio.
Excelente para harmonizar com as redondas da Braz.
Bom vinho, boa pizza e bom preço...


terça-feira, agosto 09, 2016

Tudo sobre as regiões francesas - Provence - Parte 15 - Vin De Pays Des Alpilles (Indicação Geográfica Protegida).




Cada marcação no mapa significa um produtor




A Indicação geográfica Pays des Alpilles, foi reconhecida no ano 2000.
Os vinhedos ficam localizados numa região chamada Bouches-du-Rhône.
O clima é mediterrâneo temperado, com influência do vento mistral.
O solo é pedregoso.
A produção é de cerca de 6 mil hectolitros por ano.
78% da produção é de tintos, 19% de rosés e 3% de brancos.
As variedades mais importantes são: Grenache, Syrah, Cinsault e Carignan para tintos e rosés e Clairette e Ugni Blanc para os brancos.


segunda-feira, agosto 08, 2016

domingo, agosto 07, 2016

Algumas fotos do Encontro de Vinhos Belo Horizonte - Fotógrafo: Rodrigo Amaral









O Encontro de Vinhos Belo Horizonte aconteceu, no sábado, no Museu Histórico Abílio Barreto

sexta-feira, agosto 05, 2016

Último dia para comprar ingressos com desconto para o Encontro de Vinhos Belo Horizonte




Serão cerca de 200 rótulos para prova, música, arte...
Tudo num dos espaços mais bonitos de Belo Horizonte, o Museu Histórico Abílio Barreto.
Os ingressos com desconto, terminam hoje no site www.encontrodevinhos.com.br.
Também é possível comprar na recepção do evento por 90 reais, amanhã, das 12 às 18 horas.
O Museu Histórico Abílio Barreto fica na Avenida Prudente de Morais, 202 - Bairro Cidade jardim.

quinta-feira, agosto 04, 2016

Saiu o Top5 do Encontro de Vinhos Belo Horizonte. Teve brasileiro numa super vitória entre os Brancos.





Na categoria espumantes deu a lógica!
Champagne Barfontarc Brut, na cabeça.
Depois veio a Cave Geisse em Segundo e o Adolfo Lona Pas Dosé em terceiro.
Páreo duro!!!
Em quarto, mais Brasil.
Dal Pizzol Brut.
E fechando o italiano Rotari Brut.



Entre os brancos deu Luiz Argenta Chardonnay na liderança.
Uma vitória fantástica de um chardonnay brasileiro sobre um Borgonha.
O Santenay do Domaine Olivier ficou em segundo.
Em terceiro ficou o português Casa Santos Lima Reserva.
A Eslovênia ficou em quarto, com o Furmint da PF Wineries.
E fechando o Top5, outro português, o alvarinho Aveleda.



Entre os Tintos vitória para o espanhol, Triga, de Alicante.
O San Marzano "F" Negroamaro di Salento ficou em segundo.
Em terceiro o chileno Anbordu e em quarto mais um italiano, o Panarda, de Montepulciano.
Fechando o Top5, o Luiz Argenta Merlot, do Vale dos Vinhedos.

quarta-feira, agosto 03, 2016

Fui ao maravilhoso sudoeste da França e mostrei uma criação de patos, para produção do Foie Gras.



Tudo que envolve a morte de animais causa polêmica. As pessoas comem uma carne e não imaginam que aquele animal foi mesmo criado para ser morto em certo momento e servir de alimento.
A Ferme de Gassiot, é considerada uma das principais no respeito à natureza e aos animais.
Mesmo assim, algumas pessoas podem ficar chocadas, até com a naturalidade de quem trabalha com isso a vida toda.
Mas se procurarem um vídeo de abate de porcos ou bois, vai ver que as situações são mais dramáticas.
Quem está acostumado no campo, tem outra visão.
Veja o vídeo:


O Vinho e a Pintura - Wine Time de Kim Roberti





Título: Wine Time

terça-feira, agosto 02, 2016

Pela primeira vez, num leilão, um vinho do Rhône desbanca Petrus e Romanée-Conti.





O site francês Idealwine, especializado em leilões on line (o segundo maior do mundo), fez um ranking dos vinhos mais caros vendidos desde janeiro deste ano.
O super campeão é o Hermitage La Chapelle 1961 da maison Paul Jaboulet Aîné, vendido a 13 320 euros.
Os famosíssimos Petrus (Bordeaux) e Romanée-Conti (Borgonha), ocupam 19, das 25 primeiras posições.

segunda-feira, agosto 01, 2016

Veja que legal! Os números dos produtores Biô, da Alsácia.






traduções:
Conduit en Bio: Condução orgânica
Emplois en temps plein: empregos fixos
Environement: meio ambiente
GMS: supermercados e hipermercados
Préservation des Sols: preservação dos solos
Signature de Terroirs: expressão do terroir
Surfaces: áreas
Vinification controlée: vinificacão controlada
Viticulteurs - Viticultores

O restante é tranquilo.

O Vinho e a Arte - Alex Testere





Título: Keep Rosé Weird
Alex Testere é um ilustrador de sucesso que vive em New York.

domingo, julho 31, 2016

sábado, julho 30, 2016

Pão e Vinho são usados na classificacão das cidades mais caras do mundo.

É o custo de 1 kg de pão e um litro de vinho (em dólares), nas 10 cidades mais caras do mundo.

Falta só uma semana para o Encontro de Vinhos Belo Horizonte






No próximo sábado, dia 6, um super Encontro de Vinhos na maravilhosa praça do Museu Histórico Abílio Barreto.
Quem não foi na edição do ano passado, pode conferir nas fotos.
Vinhos, food trucks, música, arte, e tudo que o Encontro de Vinhos leva por onde passa.
Ingressos com desconto no site do Encontro de Vinhos www.encontrodevinhos.com.br e no https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=51634#!/tickets
No dia da feira também é possível comprar.
O endereço do museu é: Avenida Prudente de Morais, 202.
O Encontro de Vinhos BH vai das 12 às 18 horas.

sexta-feira, julho 29, 2016

La Vieja Zorra - 2013 - DOP Sierra de Salamanca - Espanha





Um belo vinho que acaba de chegar ao mercado.
A curiosidade começa com o rótulo muito bem pensado, e chega até as variedades usadas: Rufete (55%), vinhas velhas de Aragones (Tempranillo) (40%) e Garnacha (5%).
Passou 13 meses em barricas francesas.
O vinho mostra tudo isso na taça.
O rótulo se reflete na exuberância da intensidade aromática.
As notas de amora, mirtilo, caramelo e chocolate amargo, mostram a barrica bem integrada com a fruta.
Na boca é seco, corpo médio+, os taninos (médio+) são macios e não secam a boca, graças à acidez super bem equilibrada (média+) que dá frescor e vontade de beber mais.
Tem 14% de álcool e é o que parece.
O sabor também é intenso, com as notas sentidas no nariz se repetindo, mas com a ajuda de um toque de eucalipto.
Persistente e jovem.
Pode evoluir por mais 10 anos.
Nota: 93
Importador: http://vindame.com.br/
Preço: 255 reais.
Relação preço/qualidade: 3,5/5

Tudo sobre as regiões francesas - Provence - Parte 14 - Vin De Pays Des Alpes Maritimes (Indicação Geográfica Protegida).





O departamento dos alpes marítimos, de onde saem as uvas para os vinhos dessa Indicação Geográfica Protegida, faz fronteira com a Itália.
Existe um limite de rendimento por hectare, que é de 120 hectolitros.
São produzidos tintos, brancos e rosés.
O clima é mediterrâneo e o solo com silício, calcário, xisto, granito e pedras da erosão natural dos alpes.
Os tintos são potentes, os brancos complexos e elegantes, com aromas cítricos e florais e os rosés, estruturados, potentes na boca e frescos, elaborados principalmente com as variedades Brachet, Grenache e Cinsault.
As safras históricas foram: 1988, 1989, 1998.

quarta-feira, julho 27, 2016

Virginie de Valandraud Saint-Emilion Grand Cru 2009 - Bordeaux - França






Eu sempre espero muito de um vinho de Saint-Emilion, e muitas vezes me surpreendo.
O Virginie de Valandraud foi mais do que eu esperava.
Numa prova com cerca de 50 vinhos, na Casa do Porto em São Paulo (que importa os vinhos do Jean-Luc Thunevin), pelo menos uns 30 me chamaram atenção.
O Virginie é completamente fora da média, acima da média.
São 8,88 hectares de vinhedos, no solo calcário argiloso de Saint-Emilion.
65% Merlot, 25% Cabernet Franc, 5% Cabernet Sauvignon, 4% Malbec e 1% Carménère.
A idade média dos vinhedos é de 30 anos.
O vinho ficou de 18 a 20 meses em barricas novas de carvalho francês.
No nariz tem boa intensidade aromática (média+), bastante complexo.
Notas de amora, groselha, tabaco, chocolate, groselha...
Queria ficar com ele na taça bastante tempo. Seria um bom teste olfativo.
Na boca é puro Saint-Emilion, com aquela potência escondida, que fica abaixo da elegância, mas com uma estrutura perfeita para a vida longa.
Corpo médio+, Acidez média+, sensação alcoólica média, taninos...
Os taninos finos, macios, potentes, tudo ao mesmo tempo.
Equilíbrio perfeito.
O sabor é intenso, com notas de chocolate misturando com a frutas negras e vermelhas, um toque de baunilha e café.
Vinho ainda jovem, não abriria antes de 2019. O excelente de hoje pode ser inacreditável em alguns anos.
Persistente como deve ser.
Nota: 94
Importadora: Casa do Porto - Alameda Franca, 1225 - Jardins - São Paulo e Rua Felipe dos Santos, 451 - Lourdes - Belo Horizonte

terça-feira, julho 26, 2016

Apreendidas 1700 garrafas do vinho falsificado de Pêra Manca






O Pêra Manca, junto como Barca Velha é um dos ícones de Portugal.
No Douro o Barca Velha, no alentejo o Pêra Manca.
As garrafas são caras e o valor aproximado do que arrecadariam com as vendas do vinho falsificado, chega a 250 mil euros.
A Guarda Nacional encontrou na Grande Lisboa uma camionete com garrafas de vinho, rótulos, contra-rótulos e cápsulas de Pêra Manca.
Serão feitas análises no laboratório de segurança alimentar, para saber se pelo menos o produto era bebível.
A Adega da Cartuxa, que produz o Pêra Manca, sofre muito com as falsificações, por isso, tem um holograma na cápsula, que assegura a autenticidade da garrafa.
No Brasil, uma garrafa de Pêra Manca tinto, dependendo da safra, custa à partir de 2000 reais.

Morreu Denis Dubourdieu, o "Papa dos Brancos" de Bordeaux.






Quando postei o vídeo com o filho Jean Jacques Dubourdieu, hoje pela manhã, a notícia ainda não havia chegado.
Denis era um pesquisador, diretor do instituto de ciências da vinha e do vinho e conhecido como "O Papa dos Brancos".
Ele revolucionou a qualidade dos vinhos brancos de Bordeaux e era um verdadeiro especialista nos brancos licorosos de Sauternes e barsac.
Foi consultor do Château d'Yquem e do grandioso Cheval Blanc em Sant-Emilion.
Dono dos Domaines Châteaux Reynon, Doisy-Daëne e Clos Floridène.
Morreu de câncer, aos 67 anos.

Visitei o Château Doisy Daëne e entrevistei o Jean Jacques Dubourdieu. Ainda passamos por Sauternes e Barsac...





Jean faz parte do grupo Bordeaux Oxygène, que tem como princípio, oxigenar a tradição bordalesa com gente jovem, no comando das propriedades.
Conversei com ele sobre a excelência dos vinhos doces de Barsac e Sauternes.
Veja como foi a visita:



segunda-feira, julho 25, 2016

Veja a fantástica e cheia de histórias, cave subterrânea do Le Pas Saint Martin, em Saumur.





O subterrâneo serviu de abrigo durante invasões, serviu de igreja para missas escondidas e hoje serve para guardar excelentes vinhos.





Para entender melhor o trabalho do Laurent Charrier, vale ver o vídeo anterior, nos vinhedos:

domingo, julho 24, 2016

Sabe quais são as variedades de uva mais plantadas do mundo?





Australianos da Universidade de Adelaide, pesquisaram 44 países e 500 regiões para chegar ao resultado.
Foram encontradas 1271 variedades diferentes (a Organização Internacional da Vinha e do Vinho contabiliza cerca de 6000 existentes).
Achei falta entre as mais plantadas, da Touriga Nacional, que pode ter sido prejudicada, pela tradição portuguesa em plantar vinhedos com diversas variedades no mesmo loto, o que impossibilita a contagem.
As mais cultivadas no mundo são:





1) Cabernet Sauvignon
2) Merlot 
3) Airen (branca)
4) Tempranillo
5) Chardonnay (branca)
6) Syrah
7) Grenache
8) Sauvignon Blanc (branca)
9) Trebbiano Toscano (branca)
10) Pinot Noir
11) Mazuelo ou Carignan
12) Bobal
13) Sangiovese
14) Monastrell
15) Grasevina (branca da Croácia)
16) Rkatsiteli (branca da Geórgia)
17) Cabernet Franc
18) Riesling (branca)
19) Pinot Gris (rosada)
20) Macabeo
21) Cot ou Malbec
22) Cayetana Blanca (branca)
23) Alicante Bouschet
24) Aligoté (branca)
25) Cinsault
26) Chenin (branca)
27) Montepulciano
28) Catarrato (branca)
29) Tribidrag ou Zinfandel (na pesquisa se diz originária da Croácia, ignorando a tese da Primitivo e Zinfandel serem a mesma uva).
30) Gamay
31) Muscat Blanc à Petits Grains
32) Colombard (branca)
33) Isabella (americana - Estados Unidos e Canadá)
34) Cereza (plantada na argentina para rosés e vinhos de consumo diário).
35) Muscat d'Alexandrie (branca).






Tem ainda as 30 Brancas:
1) Airen
2) Chardonnay
3) Sauvignon Blanc 
4) Trebbiano Toscano
5) Grasevina
6) Rkatsiteli
7) Riesling
8) Macabeo
9) Cayetana Blanca
10) Aligoté
11) Chenin Blanc
12) Catarratto Bianco
13) Colombard
14) Muscat Blanc à Petits Grains
15) Muscat d’Alexandrie16) Mülller-Thurgau
17) Palomino Fino
18) Semillon
19) Gruner Veltliner
20) Prosecco
21) Feteasca  Alba
22) Verdejo
23) Trebbiano Romagnolo
24) Garganega
25) Pinot Blanc
26) Gewurztraminer
27) Chasselas
28) Feteasca Regala
29) Melon
30) Pedro Gimenez





E as 30 tintas:
1) Cabernet Sauvignon
2) Merlot
3) Tempranillo
4) Syrah
5) Garnacha Tinta
6) Pinot Noir
7) Carignan (Mazuelo)
8) Bobal
9) Sangiovese
10) Monastrell 
11) Cabernet franc
12) Cot (malbec)
13) Alicante -Bouschet
14) Cinsaut
15) Montepulciano
16) Tribidrag (zinfandel)
17) Gamay Noir
18) Isabella
19) Barbera
20) Douce Noire
21) Criolla Grande
22) Nero d’Avola
23) Doukkali
24) Blaufrankisch
25) Prokupac
26) Concord
27) Touriga Franca
28) Negroamaro
29) Carménère
30) Pinot meunier

Mais uma picante de Terry Rodgers - O Vinho e a Pintura





Título: Bending the Cosmos

sábado, julho 23, 2016

O dono da Taittinger desistiu da ideia de ser presidente da França





Emmanuel Taittinger começou a semana dizendo que seria presidente da França em 9 meses.
Ontem, no site do jornal l'Union, ele mudou de ideia.
A única explicação sem grandes detalhes foi que um acontecimento pessoal sério, o obrigou a abandonar o projeto.
Emmanuel é presidente da associação vitícola da Champagne, da missão da Unesco e da Taittinger.
Já tem presidências que bastam!!! rs

O Vinho e a Pintura - O realismo de Terry Rodgers


Título: The Transparency of Venus (2011)

sexta-feira, julho 22, 2016

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis