Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

sexta-feira, junho 24, 2016

quinta-feira, junho 23, 2016

Abílio Diniz é o novo sócio da Wine.com.br




O maior nome do comércio de varejo no Brasil, se junta a maior loja de comércio de vinhos pela internet.
Abílio foi o responsável pelo crescimento do Grupo Pão de Açúcar, e é conhecido como um dos maiores e mais importantes empresários do Brasil.
Ele comprou a participação na Wine.com.br, através da sua empresa Península Participações, uma de suas empresas.
A Wine tem um clube de vinhos com 140 mil associados e um portfólio com cerca de 2000 rótulos.

Bollito ... O retorno. Confraria Dimenticaia. Por Bruno Airaghi





Em mais uma animada noite , relativamente fria , reunimos os amigos e conhecedores de bons vinhos para um jantar ( ceia pelo prato) ao redor de um famoso Bollito.
Famoso item de cardápio do não menos badalado  na época o restaurante do Hotel Cá D'Oro na rua Augusta em SP.
Apoiando-me nos conhecimentos culinários do confrade Breno , vou resumir a história deste prato ícone do Piemonte.



O prato nasceu em Carrú, na mais festejada feira bovina medieval , originária do sec. XV. Em data devida , abatia-se um boi e serviam todas as suas partes gratuitamente ao
povo que não tinha como comer carne . O prato envolve algo mistíco, pois era composto de seteentradas, sete acompanhamentos , sete partes bovinas, entre bovinas , suínas(zampone)
e ave (peito da galinha). Os molhos , igualmente sete- salsa verde, salsa rossa, mostarda de Cremona, creme ( raiz forte mais creme) um molho feito a base de mosto de uva e mel etc.
A receita original é prá lá de grande ( um banquete) com muitos ingredientes e partes variadas do boi, contudo o servido no restaurante Terraço ( Club Athletico Paulistano) foi bastante instigante para áqueles que não haviam ainda provado este conjunto de sabores, texturas e "contornos".
O time dos vinhos também foi á altura , com exemplares da região piemontesa mas também outros de origem diversa , como sulamericanos que surpreenderam positivamente os presentes.
Por coincidência os vinhos também em número de Sete ( número mágico quiçá) foram submetidos á nossa apreciação, sempre ás cegas e desta forma reunimos os 3 melhores ( ou quatro).
A realeza do Barolo ficou clara , mas vou apontar os demais da côrte.




1º Rocche dei Manzoni - Barolo 2005 (14º gl). Bem evoluído, marcante, complexo,longo (R$ 500,00)
2ºRenato Ratti, Villa Pattono-Monferrato 2011 (14,5% gl). Bom vinho , fino,boa evolução, equilibrado (R$350,00)
3ºBorgogno , Langhe, Nebbiolo 2013(13,5% gl). Rubi claro , delicado , pequena evolução, limpo , agradável. (R$ 130,00)
Houve empate técnico , que merece ser citado , por ser um vinho argentino. Primeras Viñas, Malbec, Lagarde 2009 ( Mendoza ,AR).
Um vinho mais internacional com boa acidez, limpo, boa evolução(ao redor de R$300,00).
Um destaque também para o Quinta do Seival safra 2008,Campanha(RS) 13,5%. Intenso , fino e bem estruturado.
Ficamos sempre satisfeitos quando a reunião através de um bom prato , bem cuidado , serviço impecável com bons vinhos nos acrescentou algo mais culturalmente. Vinho é isto... cultura!


Alla prossima.

O aquecimento global pode trazer novas variedades de uva para a Champagne




Pouca gente sabe, mas a Champagne conta com 7 variedades autorizadas.
Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, além das raras Petit Meslier, Arbane, Pinot Blanc (chamada Blanc Vrai) e Fromenteau (ancestral da Pinor Gris, chamada na Borgonha de Pinot Beurot).
Agora o INRA (instituto nacional de pesquisa agronômica da França), em Colmar e o intituto francês da vinha e do vinho, em Montpellier, trabalham na criação de 5 variedades capazes de enfrentar os desafios das mudanças climáticas.
Os especialistas em clima dizem que a temperatura deve subir de 1 a 5 graus até o ano de 2100.
Vale dizer, que de forma nenhuma serão criadas variedades geneticamente modificadas, serão feito apenas cruzamentos para manter a qualidade da Champagne, para que o produto final não sofra nenhuma alteração, mesmo com a mudança climática.
Serão testadas 4 mil sementes em vinhedos de provas na região de Champagne, até o ano de 2030.
Depois disso, as novas variedades devem ser inscritas nas normas da Appellation Champagne.

quarta-feira, junho 22, 2016

Tudo sobre as regiões francesas - Parte 11 - Provence - Vin De Pays De La Principauté D'orange





Os vinhedos estão na região da cidade de Orange, no antigo território dos príncipes de Orange (1230-1793).
Até 2009, eram chamados vin de pays de la principauté d'Orange (atualmente, pela União Europeia, é chamado IGP).
A área cobre 36 comunas.
O clima é mediterrâneo, temperado, com influência do vento mistral.
A maioria dos vinhos é de tintos, mas também se produz alguns brancos e rosés.
A produção é de 85 a 90 hectolitros por hectare e a graduação alcoólica deve ficar entre os 10 e os 15%.
Variedades utilizadas:
Brancas: Aranel, Arriloba, Bourbolenc, Carignan Blanc, Chardonnay, Chasan, Clairette, Clarin, Grenache Blanc, Liliorila, Marsanne, Muscat Blanc à Petit Grains, Pascal, Perdea, Piquepoul, Roussanne, Sauvignon Blanc, Ugni Blanc, Vermentino (ou Rolle), Viognier, Grenache Gris, Piquepoul Gris, Sauvignon Gris.
Tntas: Alicante Bouschet, Arinarnoa, Aubun (ou Muescola), Brun Argenté, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Calitor, Carignan, Chenanson, Cinsault, Counoise, Egiodola, Gamay, Ganson, Gramon, Grenache, Lledoner Pelut, Marselan, Merlot, Monerac, Mourvèdre, Muscardin, Muscat Noir à Petit Grains, Pinot Noir, Piquepoul Noir, Portan, Syrah, Tannat, Tempranillo, Terret, Barbaroux, Clairette Rosé.

terça-feira, junho 21, 2016

Nicasia Vineyard Red Blend 2013 - Cabernet Franc





O corte é de 90% Cabernet Franc, 7% Merlot, 3% Petit Verdot.
O vinhedo Nicasia fica em Altamira, na região de Mendoza, a 1200 metros acima do nível do mar.
O vinho passou 1 ano em barricas de carvalho francês (30% do vinho em barricas novas).
No nariz tem boa intensidade aromática (média+).
Notas de amora, tabaco e alcaçuz.
Na boca é encorpado, concentrado, taninos (médio+) com textura suave, granulada...
Um vinho potente.
Boa acidez (média+) e sensação alcoólica média.
O sabor é intenso.
Amora, mirtilo, anís, tabaco.
Persistencia média+.
Vinho jovem, vale guardar para acompanhar a evolução.
Nota: 93
Vinícola: Catena Zapata
Enólogo: Alejandro Vigil

segunda-feira, junho 20, 2016

quinta-feira, junho 16, 2016

Michel Tixier Grande Année Premier Cru Brut - Champagne - França





Vinhedos em Montaigne de Reims.
O produtor tem apenas 5 hectares de vinhedos.
Chega ao mercado depois de no mínimo 5 anos em contato com as leveduras.
Elaborado com 40% Chardonnay, 40% Pinot Noir e 20% Pinot Meunier.
Cor palha, boa perlage, fina, persistente e borbulhas barulhentas.
No nariz notas de amêndoa, flores, hortelã e maçã.
Na boca é seco, muito cremoso, macio, boa acidez, intensidade aromática, equilíbrio e elegância.
Notas de amêndoa, avelã, pera e brioche.
Persistente.
Nota: 92

O Vinho e a Pintura - Sylvia Thompson-Dias





Título: Fender Guitar and Wine

terça-feira, junho 14, 2016

Escudo Rojo 2000 - Baron Philippe de Rotschild - Vale de Maipo - Chile





Esse é um dos vinhos chilenos com relação preço qualidade muito interessante e aos 16 anos, é sem dúvida, uma boa experiência.
Elaborado com as variedades Cabernet Sauvignon, Carménère e Cabernet Franc.
Propriedade da famosíssima família francesa Rotschild, no Vale de Maipo, Chile.
Complexo, notas de carne defumada, couro, fumo de corda, café...
A fruta só aparece com o tempo depois de aberto, melhor ainda com um decanter. Aparece um toque suave de amora, ameixa.
Na boca é seco, taninos (médio) bem macios, acidez média, bastante equilibrado.
Intenso no sabor.
Notas de couro, carne defumada, azeitona preta, ameixa preta, baunilha, café.
É um super vinho e essa garrafa deve ter sido bem guardada.
Beber já.
Nota: 91
Preço (de safras atuais): na faixa dos 120 reais.

O Vinho e a Pintura - Começando mais uma série de Sylvia Thompson-Dias






Sylvia me explicou que está numa galeria no bairro francês de New Orleans, e por isso, muitas das pinturas são inspiradas na música, na arquitetura e na paixão pelo vinho.
Ela produziu muitas obras usando cápsulas de vinho e outros produtos reciclados.
Um belo trabalho!!!

domingo, junho 12, 2016

Chinês bilionário compra duas vinícolas de Bernard Magrez, em Bordeaux





O bilionário chinês Jack Ma, fundador do site de vendas Alibaba, acaba de comprar o Château Pérenne e o Château Guerry, que pertenciam ao grande Bernard Magrez.
Bernard Magrez é dono de diversas propriedades vinícolas no mundo todo, mas as duas principais são o Pape Clément (Graves) e o La Tour Carnet (Haut-Médoc).
Jack Ma, teria pago cerca de 12 milhões de euros pelos dois châteaux, o Pérenne, fica na AOC Premières Côtes de Blaye e tem 64 hectares.
O Château Guerry é o cru mais antigo da AOC Côtes de Bourg, com vinhedos do final do século 18.
Em fevereiro, o chinês já havia comprado o Château de Sours, em Entre-Deux-Mers, que tem 80 hectares e um château do século 18.
Bernard Magrez, disse que a venda faz parte de uma estratégia de concentração nos vinhos do primeiro time e garante que em breve deve comprar um renomado château.
Jack Ma é dono da segunda maior fortuna da china com 23 bilhões de dólares.
Ele era um modesto professor de inglês, até criar o site Alibaba, em 1999.

sexta-feira, junho 10, 2016

O Vinho e a Pintura - Belíssima obra de Arianna Greco




Pintura com vinho

quinta-feira, junho 09, 2016

Vai nascer uma nova AOC no Loire. Sabe qual a variedade dos tintos? A Malbec.




A AOC Amboise (nome de uma bela cidade que fica nas margens do Loire), está prestes a ser reconhecida.
Tudo por causa de alguns produtores que resolveram se retirar da AOC Touraine-Amboise, para usar apenas o nome Amboise.
Os produtores representam 200 hectares de vinhedos produzindo as variedade Chenin Blanc, para os Brancos e Côt (mais conhecida como Malbec), para os tintos.
Para minha curiosidade, a Malbec é a variedade mais importante e histórica da região.

quarta-feira, junho 08, 2016

Encontrei uma novidade da Casa Lapostolle no Encontro Mistral





O Encontro Mistral é realmente uma festa para o amante de vinhos.
Provei grandes vinhos ontem, como o Quinta do Vale Meão, o Pintia, Alión, borgonhas do Drouhin e Faiveley...
Fantástico!
Procurei uma novidade e encontrei na Casa Lapostolle.
São 3 vinhos elaborados da mesma forma e com a mesma variedade, só muda o terroir.
Um é elaborado com uvas dos andes, outro da costa e outro com uvas da região chamada entre cordilheiras, mostrando na prática, o que é o terroir.
Interessante ver que são vinhos bastante diferentes.
A Mistral vende esses vinhos somente juntos, não teria sentido provar apenas um (https://www.mistral.com.br/produto/kit-lapostolle-collection-carmenere-com-6-garrafas).
Conversei com a enóloga Andrea Leon, sobre este projeto:


Miolo lança Lote 43 2012 com uma vertical em São Paulo






A Miolo lançou ontem em São Paulo, o Lote 43 2012.
No jantar de apresentação, uma maravilhosa vertical com os vinhos das safras 2004, 2005, 2008, 2011 e 2012.
Os vinhos são realmente muito bons e podem ajudar o Brasil a conquistar mercados e ser reconhecido como um país que produz vinhos de qualidade.
Conversei com o Adriano Miolo, sobre o Lote 43:


terça-feira, junho 07, 2016

Single Vineyard Las Compuertas Malbec 2010 - Mendoza - Argentina





É o segundo vinho da Bodega Terrazas de los Andes, controlada pela gigante LVMH.
Talvez sejam os vinhos mais franceses da Argentina, com o Top Cheval des Andes como emblema.
O Single Vineyard se chamava Afincado, mudou de nome não sei porque.
Eu preferia Afincado.
O vinho tem boa intensidade aromática (média+).
Notas de mirtilo, amora, violeta, alcaçuz, café, chocolate...
Boa complexidade.
Na boca é seco, encorpado, taninos bastante macios (médio+), acidez bastante equilibrada (média), o álcool aparece (médio+), mas não incomoda.
Sabor intenso.
Frutas negras, chocolate, alcaçuz...
Final longo.
Nota: 92/100
Preço: cerca de 300 reais.
Relação preço/qualidade: 3/5
Importadora: LVMH Brasil.

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis