Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Há pouco tempo tivemos uma degustação de água aqui no blog. Em breve teremos outra. Vamos falar de água!!!



Água mineral e água da fonte: qual a diferença?
Pela legislação europeia existem 3 tipos de água engarrafada:
água mineral natural, água da fonte e água potável.

Á água mineral natural vem do subterrâneo.
Ela é diferente pela pureza origina e pelo conteúdo mineral, oligoelementos ou outros constituintes cuja composição permanece constante. Ela não pode ser submetida a qualquer tratamento susceptível de modificar a sua composição. É obrigatoriamente engarrafada na origem. A água mineral natural é a única a se beneficiar das propriedades benéficas para a saúde.

Á água da fonte vem, como o próprio nome indica, de uma fonte ou águas subterrâneas ou um reservatório subterrâneo. É apropriada para o consumo humano no seu estado natural. Mas ao contrário da água mineral, a sua composição não é constante e por isso não pode tirar proveito dos efeitos benéficos para a saúde.

Finalmente, a água potável ou água destinada ao consumo humano é uma água que passou por tratamento, independentemente de sua origem. Elas não devem conter parasitas, microorganismos ou outras substâncias perigosas para a saúde.Eles devem cumprir com os requisitos mínimos da legislação.

Não há dúvida que a água mineral, além de servir para o equilíbrio do corpo, é amiga do palato. É a companheira ideal para o vinho. Serve para lavar o palato e junto com o vinho e a comida formam um trio insubstituível.

Mas não podemos achar que as águas são todas iguais. As águas minerais têm sabores diferentes, graças aos sais minerais que contém.

A água não tem simplesmente um gosto, tem uma melodia, uma textura e um perfume limpo que junto com o vinho provoca várias sensações.
Descobrir e redescobrir essas sensações, o vocabulário apropriado é entrar num mundo de descobertas.


Os sabores da água
Retro-gosto: sabor sentido pelas papilas após a degustação (como no vinho). Falamos aqui diretamente do gosto amargo. Esse leve amargor é causado pela adstringência que provoca esse efeito táctil mais longo nas papilas gustativas.
Arôma olfativo: Varia de acordo com a temperatura da água.
Sabor: adição de sabores e aromas na água.

Os arômas
Acido : sensação de acidez na língua.
Alcalina : sensação de bicarbonato apesar da fraca presença de bicarbonado.
Amargor : se a água tiver um sabor amargo, significa que existe a presença de magnésio.
Adocicado : esse sabor pode ser da alcalinidade e levemente doce.
Rochosa : água com leve gosto de pedra ou silex (ou pedra de isqueiro).
Salgada : esse sabor marca a presença de sulfato ou cloreto de sódio.
Salina : quase a mesma coisa que a anterior, mas com um toque amargo, que significa a presença de cálcio e magnésio.

Os aspectos
Brilhante : água muito luminosa.
Fluida : água que não deixa nenhum vestígio visível sobre o vidro.

As musicas (no caso das gasosas)
som produzido pelo estouro das bolhas dentro do copo. pode ser forte ou suave.
 
Conselhos práticos
As águas minerais sem gas devem ser servidas a uma temperatura entre 15 e 18 °, como os vinhos de Bordeaux ; as gasosas devem ser servidas entre 8 e 12°.
A temperatura facilita a percepção dos aromas e sabores.
Uma garrafa de vidro pode ser conservada por 3 anos, a garrafa plástica por 2 e a gasosa por 1 ano. . Depois de aberta deve ser consumida em 48 horas.
Também vale dizer que as águas conservadas em garrafas plásticas, não tem o mesmo gosto das águas conservadas em garrafas de vidro.
Devemos beber pelo em média 1 litro e meio de água mineral todos os dias.
Saúde!!!

0 comentários:

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis