Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

domingo, junho 30, 2013

Cerveja com abóbora? Por Alessandro Pinesso*

Nos EUA, é muito comum encontrar cervejas feitas com adição de abóbora, geralmente denominadas Pumpkin Ales. Embora não seja classificada como um estilo propriamente dito, as origens desta alquimia estão nos primórdios da história dos EUA. Os colonos de antão, conhecidos como pilgrims, logo descobriram as muitas propriedades daquela estranha planta de cor alaranjada e a incorporaram à sua dieta.

Em geral, as pumpkin ales são sazonais, produzidas entre agosto e novembro, no outono. O método de produção varia muito. Alguns cervejeiros adicionam pedaços de abóbora durante a produção, outros preferem adicionar um purê da fruta. Também é comum a adição de especiarias empregadas nas tradicionais tortas de abóbora, como gengibre, noz-moscada, cravo, canela, pimenta da Jamaica entre outros. O sabor típico é suave, com pouco ou nenhum amargor, residual de malte e aftertaste condimentado. Os melhores rótulos são elaborados com abóbora de verdade, sem aromatizantes, e a abóbora assada pode proporcionar melhores resultados.

Uma das mais interessantes que tive a oportunidade de degustar foi a Post Road Pumpkin Ale, obra do mestre Garrett Oliver, da Brooklyn Brewery, uma das melhores cervejarias da terra do Tio Sam. Além de abóbora, também leva canela e noz-moscada. Ao servir a cerveja, chama a atenção sua bela cor alaranjada, coberta por uma camada de espuma bege. Nos aromas, as citadas especiarias, o dulçor do malte e o herbal do lúpulo. Na boca, uma certa adstringência, provavelmente causada pelo lúpulo, bem marcante, além de especiarias, maçã assada e o adocicado da abóbora. No geral, uma cerveja de excelente drinkability, refrescante, muito boa. Pela elegância, quase poderia ser confundida como uma ale inglesa, talvez até mesmo por ser uma homenagem ao passado (leia abaixo). É produzida entre os meses de agosto e novembro.

Um pouco de história

A Post Road é uma homenagem a estes bravos colonizadores que, no século XVII, já produziam a sua própria pumpkin ale, acrescentando caqui, lúpulo, açúcar de bordo (maple, em inglês), a planta de onde se extrai o famoso maple syrup, geralmente consumido com panquecas. Como curiosidade, abóboras ocas eram usadas como forma para os cortes de cabelo da época. Por isso, os habitantes da Nova Inglaterra foram apelidados de pumpkinheads (cabeça-de-abóbora).

Post Road Pumpkin Ale
Brooklyn Brewery
EUA – Nova York – 5,0% de álcool


Outros rótulos:

Sauber Pumpkin Ale
Sauber Beer
Brasil – Mogi Mirim, SP – 4,7% de álcool


Líquido âmbar escuro, levemente turvo, espuma branca persistente. No aroma, reina a abóbora, seguida de condimentos com canela, cravo e pimenta e lúpulo suave. Os sabores seguem o aroma, com residual adocicado da abóbora e amargor suave.


Rogue Chatoe Pumpkin Patch Ale
Rogue Brewery
EUA – Newport – Oregon – 5,6% de álcool

Cor âmbar, escura, filtrada, com boa formação de espuma. Aromas de abóbora, canela, gengibre e especiarias. Na boca, remete às velhas receitas de doce de abóbora, contrabalanceado pelo amargor do lúpulo e condimentos.


*Alessandro Pinesso é sommelier de cervejas formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e Association de la Sommellerie Internationale e Mestre em Estilos Cervejeiros pelo Instituto da Cerveja Brasil, associado ao Brewers Association dos EUA.

0 comentários:

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis