Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

sábado, julho 27, 2013

Russian Imperial Stout, cerveja para fortes. Por Alessandro Pinesso*

O estilo Stout é tipicamente inglês, embora tenha alargado suas fronteiras  graças ao sucesso da irlandesa Guinness. São cervejas escuras, com forte aroma e sabor de tostado. Sua cor negra “engana” os desavisados, pois, embora tenha bom corpo e sabor característico, nem sempre apresenta teor alcoólico elevado. A citada Guinness, por exemplo, possui apenas 4% de álcool, menos que todas as lagers de consumo de massa no Brasil.

Porém, como o tema de hoje é cerveja forte, não poderíamos ignorar os rótulos do estilo Russian Imperial Stout, muito apreciados – e produzidos – pelos cervejeiros artesanais, principalmente norte-americanos. O nome desta verdadeira pancada em forma de cerveja remonta ao século XVIII, quando era exportada da Inglaterra para a corte de Catarina II, imperatriz da Rússia.

A maioria delas combina muito bem com chocolate e sobremesas afins. Queijos mais intensos, como roquefort ou gorgonzola, também podem ser uma boa escolha. Nos dias frios, há quem as consuma à temperatura ambiente, mas, se quiser um pouco mais de frescor, não deixe por muito tempo na geladeira, no máximo uma hora. Caso contrário, o amargor se torna desagradável e a complexidade de aromas e sabores não se desprende com as baixas temperaturas.

Como nota de rodapé, o termo “Imperial” volta e meia é adotado em outros estilos cervejeiros.  Nesses casos, trata-se de exemplares mais alcoólicos e encorpados que as versões convencionais do mesmo estilo.


Alguns rótulos:
Colorado Ithaca
Cervejaria Colorado – Brasil – 10,5% de álcool

Uma bela criação dos cervejeiros de Ribeirão Preto (SP), com adição de rapadura queimada. Ao despejá-la no copo, o líquido marrom escuro é recoberto por uma fina camada de espuma bege que se desfaz rapidamente. Os aromas se desprendem com facilidade, licor, ameixa, rapadura, vinho do Porto, café, tostado, dulçor do açúcar e das doses cavalares de malte. Na boca, o álcool provoca aquecimento, estimulando as papilas gustativas para uma explosão de malte, açúcar queimado e um toque de lúpulo, numa batalha ferrenha entre o adocicado e o amargo. Pode ser guardada por vários anos, pois suas características permitem a maturação na garrafa. O primeiro lote foi produzido em 2009, mas, como consta do site da cervejaria, creio que esteja de volta às boas casas do ramo.
Calavera Imperial Stout
Microcerveceria Gourmet Calavera – México – 9,0% de álcool

Em sua formulação, consta a adição de chiles, uma pimenta tipicamente mexicana. Negra, opaca, produz uma generosa camada de espuma bege de boa duração. Aromas de chocolate, caramelo, passas e frutas secas. O lúpulo britânico, em boa quantidade, faz um bom contraponto ao caráter frutada e levemente defumado desta cerveja. O sabor segue o aroma, com um leve defumado e o apimentado dos chiles “cortando” o dulçor do malte.
Rogue Double Chocolate Stout
Rogue Brewery – Newport, Oregon – EUA – 9,0% de álcool
Cerveja negra, com boa espuma, com aroma de chocolate ao leite, avelã, lúpulo, café e malte, com destaque para o chocolate holandês adicionado no processo. Na boca, o lúpulo se faz mais presente, contrastando com o tostado e a forte carga de maltes empregados. Ao contrário do que o nome possa sugerir, não é uma cerveja adocicada, lembrando o verdadeiro cacau, mais amargo e intenso.  

*Alessandro Pinesso é sommelier de cervejas formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e Association de la Sommellerie Internationale e Mestre em Estilos Cervejeiros pelo Instituto da Cerveja Brasil, associado ao Brewers Association dos EUA.

E-mail: pinesso@gmail.com

0 comentários:

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis