Papo de Vinho
Noticias, Entrevistas, Informações, Opinião
Tudo sobre o mundo do vinho!

sábado, janeiro 09, 2021

Morreu Antônio Dal Pizzol




 

Antônio Dal Pizzol morreu ontem, as 23 horas, aos 71 anos vítima da Covid 19.

Antônio era sócio da vinícola Dal Pizzol, fundada por ele e pelo irmão Rinaldo.

A vinícola, que fica em Monte Lemos, produz mais de 300 mil garrafas por ano e é uma referência em vinhos de qualidade.



sexta-feira, janeiro 08, 2021

Provei e gostei do "Vinho Vivo" brazuca Vivente 2019



 

O termo vinho vivo é usado por eles mesmos como uma forma de dizer em duas palavras o que o contra rótulo diz em várias: 

Vinificado e engarrafado sem aditivos e sem filtragem. Nada além de uvas fermentadas espontaneamente e leveduras selvagens.



O vinho é 2019, mas pela cor parece ser um vinho mais evoluído, e no nariz também, na boca também.

A cor é típica da Pinot, com pouca intensidade, no caso turvo e um tom que indica alguma evolução (leve atijolado).

No nariz tem notas de framboesa, couro e carne defumada. Lembra um bom Pinot europeu evoluído.

Na boca tem corpo médio, boa acidez, taninos macios e sabor intenso.

O sabor repete os aromas sentidos no nariz, acrescentando um toque salino.

É equilibrado e persistente.

Tem só 9,8% de álcool e não precisa de mais. Seria ótimo que os produtores sempre respeitassem o álcool que as uvas oferecem e não o que o "mercado" pede...

Não adiciona sulfitos.

Muito bom!

Nota: 90

terça-feira, janeiro 05, 2021

Bordeaux testa lona protetora que pode evitar o uso de produtos químicos



 

Bordeaux talvez seja a região que mais luta para encontrar caminhos alternativos para combater as doenças causadas pela umidade sem usar produtos químicos.

Dessa vez um túnel de alt tecnologia, chamado vititunel, promete proteger das chuvas os cachos e as folhas, diminuindo bastante o risco da criação de doenças causadas por fungos.

Quem inventou essa novidade foi o Patrick Delmarre (foto).

Assista o vídeo:


A reportagem completa está no site https://www.vitisphere.com/actualite-93162-Ce-tunnel-met-la-vigne-a-labri-de-80-des-traitements-phytos.htm

terça-feira, dezembro 29, 2020

Chateau Fleur Cardinale 2008 - Saint-Émilion Grand Cru Classé

 


Como se trata de um Bordeaux da margem direita (Saint-Émilion), a Merlot domina o corte, com 70%, Cabernet Franc 20% e Cabernet Sauvignon 10%.

Mesmo sendo um vinho com mais de 10 anos, as frutas ainda aparecem com força.

Amora, mirtilo...

Depois vem um toque de grafite, a madeira bem integrada e por fim um toque terroso e de couro.

Na boca está entre o médio e o encorpado, os taninos são potentes, mas muito macios.

Tem boa acidez e o sabor repete as notas sentidas no nariz, com um toque de chocolate amargo entrando na festa.

É equilibrado, elegante e persistente.

Ainda tem força para evoluir.

Nota: 94


domingo, dezembro 20, 2020

Morreu Darcy Miolo o fundador da Miolo Wine Group



Darcy tinha 79 anos e fundou uma das maiores empresas vinícolas do Brasil. 

Ele era o presidente do conselho de administração da Miolo e há 31 anos, um dos responsáveis pelo sucesso da empresa, que apostou na produção de vinhos de qualidade.

Darci Miolo deixa a esposa Gladis Terezinha Bianchi Miolo e os filhos Adriano, Fábio, Alexandre, Marcos e Cássio. 

O velório está sendo realizado na Capela da Glória na Linha 40 da Leopoldina, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). O sepultamento ocorrerá nesta segunda-feira, 21 de dezembro de 2020, às 16h30min, no Cemitério da cidade.

 



quinta-feira, dezembro 17, 2020

Um Isabel de respeito da Aventura Garage Wine



Você sabe o que é aroma Foxado?

É um aroma terroso, adocicado, que os ingleses associaram ao cheiro do pelo da raposa (por isso o fox) e resolveram chamar de foxado. Esse aroma é normalmente encontrado nos vinhos elaborados com uvas não viníferas. Exemplos: Isabel, Concórdia, Niágara...

O aroma se deve ao composto aromático antranilato de metila, um éster encontrado nas uvas Vitis labrusca, Vitis bourquina, Vitis riparia e Vitis rupestre, mas não é encontrado nas Vitis viniferas.

A história toda é pra contar que esse vinho que provei, produzido na Serra Gaúcha por 4 enólogos jovens e inquietos (conforme explica o rótulo), não tem esses aromas. Tem aromas de uvas viníferas, tem nível de qualidade comparável a qualquer rosé elaborado com viníferas e é de Isabel.

A Isabel é uma das uvas mais usadas na produção de vinhos de garrafão, com aroma foxado e muito açúcar.

O enólogo português António Maçanita, produz nos Açores um vinho chamado Isabella a Proibida (na Europa a vinificação de uvas americanas é proibida) que une qualidade, raridade e sucesso...

Um documentário chamado Vitis Prohibita fala sobre a produção de vinhos de qualidade com não viníferas. 

Um avanço da enologia, que pode colocar mais um punhado de uvas na vida de enófilos.

Enfim vamos ao vinho, que é da safra 2020.

Aventura Garage Wine - Unexpected White Isabel (é um rosé apesar do White, uma brincadeira com o White Zinfandel americano).

No nariz notas de tutti-frutti, destaque para o morango e uma nota floral.

Na boca é seco, tem boa acidez e equilíbrio.

Tem 10% de álcool, e não precisa mais.

A persistência é média.

Boa surpresa!

Nota: 88

Sugiro uma lida no post do meu amigo Didu Russo, com entrevista com a Regina Vanderlinde, presidente da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho). 

Ela rebate a tese de que os vinhos elaborados com espécies não viníferas fazem mal a saúde.

https://www.didu.com.br/2020/11/vinho-de-mesa-o-injusticado/#:~:text=Did%C3%BA%3A%20Os%20vinhos%20de%20mesa,%C3%A9%20extra%C3%ADdo%20em%20altos%20n%C3%ADveis.

quarta-feira, dezembro 09, 2020

Terrazas Grand Malbec 2017 - Mendoza





Na minha opinião os vinhos da Terrazas de los Andes estão entre os mais elegantes de Mendoza.

Um estilo francês que começou em 1960 com a abertura pela Moët & Chandon da sua primeira subsidiária fora da França.

Por aí já dá pra saber que o Grand Malbec 2017 é um vinho bem nascido, com escolha de terroir e método de produção.

No nariz amora, mirtilo, ameixa... Frutas frescas, nada de geleia ou maturação exagerada.

Ervas aromáticas, violeta e um toque de chocolate amargo já adiantam o que o vinho pode mostrar na boca.

É na boca que a pegada francesa aparece mais.

Os taninos...

Os grandes vinhos de Bordeaux principalmente, conseguem taninos potentes que não invadem, que não secam a boca, que tomam conta do palato com uma textura fina, deliciosa.

O equilíbrio é notável.

Acidez, álcool, intensidade de sabor, tudo no lugar.

É encorpado e longo.

No final de boca todos os aromas se unem em uma despedida lenta e surpreendente.

Nota: 93



quinta-feira, dezembro 03, 2020

O Lote 43 2018 é muito especial.


 



Semana passada provei uma vertical dos vinhos Lote 43 da Miolo, com a presença do Adriano Miolo e a convite do Sérgio Queiroz e do Marcelo Copello.

Um vinho de 1999, um de 2008 e um de 2018.

O 1999 impressionante por conta da evolução lenta e das condições de produção contadas pelo Adriano Miolo, numa época que ainda não havia um mercado de barricas no Brasil.

Ele contou que precisou usar barricas argentinas recuperadas.

O 2008 está pronto é um bom vinho, mas o que encantou de fato foi o 2018.

Corte de Merlot e Cabernet Sauvignon.

Um vinho vibrante, com notas de amora, mirtilo, um toque de tabaco e ervas aromáticas.

Na boca é encorpado, a fruta é fresca e os taninos firmes e granulados, provocando o que se chama hoje de tensão (as papilas parecem retrair). 

É intenso no sabor e tem excelente acidez. 

É todo equilibrado e refrescate.

Persistente e jovem.

Vinho para guardar e comprar uma caixa, provando uma garrafa por ano.

Nota: 94


terça-feira, dezembro 01, 2020

Provei os biodinâmicos da Viña Koyle



Num dos poucos encontros presenciais dessa inacreditável e longa pandemia, almocei com o Toti Undurraga para provar seus vinhos biodinâmicos.

A familia Undurraga tem 150 anos de história na produção de vinhos no Chile.

A Viña Koyle começou em 2006 e logo se decidiu pela agricultura biodinâmica.

Provei 3 vinhos muito bons.


O Cabernet Sauvignon Koyle Gran Reserva 2017 foi o primeiro da prova.

No nariz notas de groselha, cassis, amora... Também uma nota de pimenta preta e goiabada.

Na boca tem os taninos macios, boa acidez e persistência.

Uma nota de chá acompanha o final de boca, que tem boa persistência.

Nota: 89



O Koyle Royale Carménère 2018 segue a mesma característica de fruta fresca.

Cereja, amora... Também tabaco e baunilha. 

Na boca os taninos são potentes e finos, elegantes.

Tem boa acidez, equilíbrio e no sabor dá pra sentir a madeira com sutileza e na medida certa.

É persistente, delicioso.

Nota: 92



O Auma 2009 fechou a prova.

É o vinho mais importante da vinícola.

Frutas mais maduras, como era comum no ano de produção do vinho.

Amora, violeta, chocolate amargo...

Parece mais jovem do que realmente é.

Na boca é encorpado, tem os taninos muito elegantes, com textura macia e ao mesmo tempo potência.

Tem boa acidez, sabor intenso repetindo as notas sentidas no nariz e acrescentando um toque terroso e de cogumelo.

Excelente persistência.

Nota: 94

Pra terminar, gravei uma entrevista com o Toti Undurraga:




quinta-feira, novembro 19, 2020

Marie Gabi Rosé 2020 - Routhier & Darricarrère - Campanha Gaúcha

 



A Campanha Gaúcha não para de surpreender.

Esse rosé é sem dúvida nenhuma um dos grandes rosés do novo mundo.

Tem aquela cor clara, que lembra um Provence.

Pra quem não sabe, a Provence está para os rosés como Bordeaux está para os tintos.

Esse é elaborado com a Cabernet Sauvignon.

No nariz framboesa, morango, tuti fruti.

Na boca é seco, toque cítrico, notas de frutas vermelhas frescas repetindo o nariz.

É fresco, tem excelente acidez, equilíbrio e persistência.

Um belo rosé!

Nota: 90

Só 8 mil garrafas.

quinta-feira, novembro 12, 2020

Italianos criam composto que bloqueia o míldio sem fazer mal para as plantas e para a saúde


Pesquisadores de Milão conseguem bloquear o fungo causador do míldio sem uso de pesticidas.

A descoberta pode revolucionar a luta contra a doença que ataca vinhedos e outras culturas no mundo todo.

A equipe de cientistas conseguiu inibir a enzima responsável pela formação da parte reprodutiva do fungo causador da doença.

O composto com o nome de NoPv1 (No Plasmopora viticola1), se mostrou eficaz contra disseminação do fungo.

Os testes foram feitos em folhas de Pinot Noir, uma parte inoculadas apenas com o míldio e outra parte com o míldio e com o composto NoPv1.

Depois de 7 dias as folhas que não tinham o novo produto estavam tomadas pela doença e as folhas tratadas com o novo produto estavam intactas.

O mais importante é que a nova descoberta é eficiente contra o míldio e inofensiva aos vegetais, mostrando que o produto é uma alternativa fantástica diante dos produtos fitossanitários que fazem mal para as plantas e para as pessoas.

O produto depois de aplicado não afetou as células das bactérias das plantas, nem as células das leveduras Saccharomyces cerevisiae, nem nos animais e nem nos homens que consumiram as uvas.

O produto foi testado também com o oídio, que é um parasita, mas infelizmente não funcionou.

sábado, outubro 31, 2020

Nem a pandemia parou a Grande Prova Vinhos do Brasil - O resultado mostra evolução dos vinhos brasileiros.


Tive a honra de participar das provas pelo segundo ano consecutivo e pude comprovar a evolução dos vinhos brasileiros, a excelência da organização e o crescimento do número de amostras.

Além da qualidade dos degustadores, percebi a seriedade na avaliação de cada amostra.

Gosto da ideia das degustações às cegas. O resultado mostra uma infinidade de produtores desconhecidos do grande público e que produzem grandes vinhos.



Um belíssimo trabalho do Grupo Baco Multimídia, dos queridos Marcelo Copello e Sérgio Queiroz.

Abaixo os resultados de todas as categorias:


GRANDE PROVA VINHOS DO BRASIL 2020

O maior concurso de vinhos do Brasil chega a seu nono ano com recordes.

Números e curiosidades:

- 1.309 inscrições (2019 foram 1072)

- 144 vinícolas (2019 foram 122)

- Vinhos de 9 estados: RS, SC, PR, SP, MG, ES, PE, BA, GO

- 51 categorias (2019 foram 41)

- 66 campeões (com os empates)

- 86 duplo-ouro (6,5%) (nota mínima 92)

- 366 ouros (nota mínima 90)

- Bag-in-Box: nenhuma medalha

- Sucos: 15 ouros nos brancos e nos tintos 38 duplo-ouro e 7 ouros.




CAMPEõES POR CATEGORIA

1 - Espumante Brut Branco Champenoise

- Brut Tradicional Adolfo Lona – 2015 - Vinhos e Espumantes Adolfo Lona - RS

- Rh Brut – 2014 - Vinícola Rh - PR

 2 - Espumante Brut Branco Charmat

- Brut Charmat Adolfo Lona – 2017 - Vinhos e Espumantes Adolfo Lona – RS

- Excellence Branco – 2008 - Moët Hennessy do Brasil – RS

3 - Espumante Brut Rosé Champenoise

- Irradia – 2020 - Audace wine – RS

4 - Espumante Brut Rosé Charmat

- Ponto Nero Cult Brut Rose – NV - Ponto Nero - RS

- Panizzon Rosé Brut – NV - Vinícola Panizzon – RS

5 - Espumante Demi-Sec Branco Champenoise

- Fausto Demi Sec Branco Tradicional – NV - Pizzato – RS

6 - Espumante Demi-Sec Branco Charmat

- Casa Perini Ice – NV - Casa Perini – RS

7 - Espumante Demi-Sec Rosé (Charmat e Champenoise)

- Passion – NV - Moët Hennessy do Brasil  - RS

8 - Espumante Extra-Brut Branco Champenoise

- Aurora Pinto Bandeira Extra Brut – NV - Cooperativa Vinícola Aurora Ltda – RS

- Rh Extra Brut – 2015 - Vinícola Rh – PR

9 - Espumante Extra-Brut Branco Charmat

- Rio Sol Espumante assinatura – 2016 - Rio Sol – PE

- Sinfonia Blanc De Blancs – 2019 - Vinhedos Do Monte Agudo - SC

10 - Espumante Extra-Brut Rosé (Champenoise e Charmat)

- Victoria Geisse Extra Brut Vintage Rose – 2019 - Vinícola Geisse – RS

11 - Espumante Moscatel Branco

- Valmarino Moscato - NV – Valmarino – RS

- Espumante Branco Moscatel – 2020 - Vinhos Faé Ltda – RS

12 - Espumante Moscatel Rosé

- Aurora Moscatel Rosé – NV - Cooperativa Vinícola Aurora Ltda – RS

13 - Espumante Nature Branco Champenoise

- Nature Adolfo Lona – 2015 - Vinhos e Espumantes Adolfo Lona - RS

- Cave Geisse Nature – 2018 - Vinícola Geisse - RS

14 - Espumante Nature Rosé (Champenoise e Charmat)

- Orus – 2015 - Vinhos e Espumantes Adolfo Lona - RS

15 - Espumante Orgânicos/naturais/biodinâmicos

- Eu borbulho branco – NV - Vinícola Franco Italiano – RS

16 - Espumante Prosecco/Glera (Charmat e Champenoise)

- Salton Prosecco – NV - Vinícola Salton – RS

17 - Espumante Sur Lie

- Valmarino Sur Lie – 2015 – Valmarino – RS

18 - Espumante Tinto

- Viapiana Espumante Tinto Gamay – 2019 - Vinhos Viapiana – RS

19 - Branco Chardonnay

- Viapiana Chardonnay 2019 – 2019 - Vinhos Viapiana – RS

20 - Branco Cortes

- Miolo Seleção Chardonnay/Viognier  - 2020 - Vinícola Miolo  - RS

- San Michele Bianco Corte – 2020 - Vinícola San Michele – SC

21 - Branco de Outras Castas

- Garganega  - 2019 - Leone di Venezia – SC

22 - Branco Gewurztraminer

- Gewurztraminer – 2019 - Leone di Venezia – SC

23 - Branco Moscato

- Monte Sant'ana Moscato Giallo – 2020 - Vinícola Monte Sant'ana – RS

24 - Branco Orgânicos/naturais/biodinâmicos

- Lidio Carraro Faces Do Brasil Chardonnay – 2019 - Vinícola Lidio Carraro – RS

25 - Branco Riesling Itálico e Renano

- Aurora Edição Única Riesling Itálico – 2014 - Cooperativa Vinícola Aurora Ltda – RS

26 - Branco Sauvignon Blanc

- Sauvignon Blanc Zanotto – 2020 - Vinícola Campestre – RS

27 - Branco Viognier

- Yoo Viognier – 2020 - Yoo Wines - RS

28 - Brancos Super Premium

- Guaspari Viognier Vista do Bosque – 2017 - Vinícola Guaspari – SP

29 - Tinto Alicante Bouschet

- Pizzato Veludo Azul Alicante Bouschet Reserva  - 2018 - Pizzato – RS

30 - Tinto Ancellotta

- Casa Fontanari Ancellotta – 2018 - Casa Fontanari – RS

31 - Tinto Cabernet Franc

- Fração Unica Cabernet Franc (Sem rótulo) – 2020 - Casa Perini – RS

32 - Tinto Cabernet Sauvignon

- Boscato Gran Cave Cabernet Sauvignon - 2012 - Boscato Vinhos Finos – RS

- Vinho Censurato CS – 2005 - Vinícola Franco Italiano – PR

- Angustifólia Cabernet Sauvignon Reserva – 2012 - Vinícola Araucária – PR

33 - Tinto Cortes

- Guaspari Cabernet Franc Cabernet Sauvignon Vista da Mata – 2017 - Vinícola Guaspari – SP

34 - Tinto de Outras Castas

- Rio Sol Tempranillo – 2018 - Rio Sol – PE

- Armando Winemaker Signature Teroldego – 2017 - Vinícola Peterlongo – RS

35 - Tinto Malbec

- Milantino Reserva Malbec do vale           - 2015 - Milantino Vinhos – RS

36 - Tinto Marselan

- Barão De Petrópolis Reserva Marselan – 2018 - Barão De Petrópolis Vinhos Finos - RS

37 - Tinto Merlot

- Sfera Merlot - 2013 - Vinícola Arbugueri – RS

38 - Tinto Orgânicos/Naturais/Biodinâmicos

- Lidio Carraro Faces Do Brasil Merlot – 2019 - Vinícola Lidio Carraro – RS

39 - Tinto Petit Verdot

- Valmarino Petit Verdot – 2019 – Valmarino – RS

40 - Tinto Pinot Noir

- Giuseppe Lovatel Pinot Noir – 2019 – Lovatel – RS

- Rastros do Pampa Pinot Noir – 2020 - Vinícola Guatambu – RS

41 - Tinto Sangiovese

- Vivalti Sangiovese – 2017 - Vinícola Vivalti – SC

42 - Tinto Super Premium

- Pizzato Dna99 Single Vineyard Merlot Dovv – 2015 - Pizzato – RS

- Milantino Gran Vino – 2008 - Milantino Vinhos – RS

- Septimum – 2018 - Vinícola Salton – RS

43 - Tinto Syrah

- Casa Verrone Speciale Syrah – 2018 - Casa Verrone – SP

44 - Tinto Tannat

- Seguredos da Adega Tannat Gran Reserva – 2014 - Casa Marques Pereira – RS

- Corcéis Tannat – 2013 - Vinícola Helios – RS

45 - Tinto Touriga Nacional

- Boscato Cave Touriga Nacional – 2018 - Boscato Vinhos Finos – RS

46 - Bag in Box Cabernet Sauvignon

- Don Affonso Cabernet Sauvignon – 2018 - Vitivinícola Don Affonso – RS

47 - Bag in Box Merlot

- Monte Bello Merlot - 2019 - Vinícola Monte Belo Ltda – RS

48 - Doces e Fortificados

- Aurora Colheita Tardia – 2020 - Cooperativa Vinícola Aurora Ltda – RS

49 – Rosé

- Relax Rosé – 2020 - Coop. Vinicola Garibaldi – RS

50 - Suco de Uva Integral Branco

- Suco Sunny Days Branco – NV - Vinícola Miolo – BA

51 - Suco de Uva Integral Tinto

- Don Affonso - 2020 - Vitivinícola Don Affonso - RS


quinta-feira, outubro 22, 2020

Guia de Vinhos Adega Portugal




Eu gosto de guias. É sempre uma indicação para conhecer vinhos novos ou para saber se aquele vinho que está na prateleira, ou on line, é o que estamos procurando.

Melhor ainda quando confiamos em quem degustou.

Existe nos guias autorais e na própria assinatura de quem degustou uma parcela de gosto pessoal e outra parcela que deve ser cada vez maior de precisão analítica.

Ou seja, exemplo: o cara não gosta da uva Carménère, mas sabe analisar e dizer que aquele é um grande vinho.

As degustações da Adega tem ótimos degustadores e são sempre conduzidas pelo Eduardo Milan, e isso pra mim basta.

O Edu tem uma precisão e um conhecimento raro.

Foram avaliados mais de 500 vinhos e o Guia é o primeiro a ter QR Code ao lado das avaliações, para que o consumidor acesse facilmente o vinho no e-commerce.

O Guia está à venda no site da Seleção Adega e custa 75 reais.

Segue o link:

https://www.selecaoadega.com.br/products/guia-de-vinhos-adega-portugal-2020

terça-feira, outubro 20, 2020

Invino Wine Travel Summit já tem nova data



 

Dia 5 de Abril de 2021.  A pandemia não poupou ninguém e eu como organizador do Encontro de Vinhos, sei muito bem como é difícil essa situação de esperar sem saber até quando.

Felizmente as coisas estão voltando aos poucos e as notícias de hoje são infinitamente melhores do que as notícias de 6 meses atrás.

Eu estive na primeira edição do Invino Wine Travel Summit e gostei bastante, acho que o turismo com o vinho como foco é uma realidade que deve ser cuidada e valorizada.

Eu não conheço região vinícola que também não seja um destino turístico no mínimo maravilhoso.

Conheço diversas regiões, talvez muitas, e posso garantir que vale muito a pena.

A Invino Wine Travel Summit acontece dia 5 de Abril, no Hotel Unique, em São Paulo.

Realizado pela Cap Amazon Tropical Marketing, a segunda edição do evento vem com patrocinadores de peso, como o Grupo Air France-KLM, Chandom, Design By Bourgogne, World Wine, Giordani Turismo e Queijos da França.

A segunda edição vai ter a Sylvie Cazes, falando da Cité du Vin (veja o vídeo que fiz na Cité du Vin no link abaixo):

O Nicolas Kovalenko vai falar da Vinícola Garzon (veja vídeos que gravei na vinícola Garzón):










Quem conhece o Unique, sabe que o Chef que comanda com muita competência a gastronomia do hotel ee o Emmanuel Bassoleil.

Ele também vai apresentar suas experiências gastronômicas.

Eu também conversei com ele:


Como se precisasse de mais alguma coisa, ainda estão programadas degustações de vinhos da World Wine, queijos franceses, a presença de viticultores gaúchos falando sobre os vinhos produzidos no sul do Brasil, a rota do vinho de São Roque, produtores argentinos, chilenos e uma atração a parte é a fantástica Viña Vik, que acompanhei desde o nascimento até os dias de hoje.

Alguns vídeos que gravei por lá:






A Cap Amazon formou um time de peso para colaborar com a realização desse evento.

Carlos Cabral (responsável dos vinhos do Grupo Pão de Açúcar), Carlos Henrique Abatayguara (Presidente da Jet Set Turismo), Jean-Philipe Pérol (diretor da Invino e da Amazon Rio Negro Turismo) e a Solange Souza (Jornalista especializada em vinhos e gastronomia).



segunda-feira, outubro 19, 2020

Vivalti Sauvignon Blanc 2019 - Santa Catarina - Brasil

 


Elaborado na altitude (1310 metros), 

em São Joaquim Santa Catarina.

O interessante desse vinho é que ele representa 

a variedade (Sauvignon Blanc) com perfeição.

É exatamente o que se espera de um vinho 

feito com essa uva.

No nariz é cítrico. Notas de maracujá, 

carambola e grama cortada.

Na boca é seco, corpo ligeiro, excelente acidez 

e boa intensidade de sabor, repetindo as notas 

sentidas no nariz, com destaque para o maracujá.

É equilibrado e tem boa persistência.

Nota: 89


sexta-feira, outubro 16, 2020

Mirabilis Branco 2018 - Douro - Portugal





Mirabilis em latim significa surpreendente.

Com certeza esse branco do Douro surpreende.

É elaborado com uvas de vinhas velhas onde predominam as variedades Viosinho e Gouveio.

No nariz notas de banana, melão, pedra de isqueiro e baunilha.

Na boca é seco, crocante, tem ótima acidez e textura.

Sabor intenso repetindo as notas do nariz junto com um toque salino e amanteigado.

É longo, elegante e equilibrado.

É excelente.

Nota: 93



sexta-feira, outubro 09, 2020

Château Palmer fala sobre denúncias de maus-tratos contra trabalhadores espanhóis



 

A diretora de exportação do Château Palmer me enviou um e-mail com uma entrevista do diretor Thomas Duroux ao site Roux89 de Bordeaux.

Na entrevista o diretor nega as acusações dos espanhóis e diz que contratou os trabalhadores através de uma agência de empregos e que nem a agência e nem os responsáveis pela colheita confirmaram as acusações.

O diretor também disse, que não respondeu ao e-mail da jornalista espanhola, por ele estar na caixa de entrada do formulário de contato do site e ele não teve acesso a essa caixa durante a época da colheita.

Ele afirma que as acusações são anônimas, não são claras e que nas 17 anos de colheitas em que trabalha  no Château Palmer, nunca houve nenhum problema com os trabalhadores.

Sobre a falta de água mineral, ele afirma que a empresa comprou uma grande quantidade de garrafas que foram disponibilizadas diretamente aos trabalhadores.

Sobre a alimentação, os pratos foram suspensos por causa da pandemia, mas os trabalhadores receberam um adicional de 9 euros em cima do salário, que é 18% maior do que o salário mínimo da França.

Sobre os dormitórios, eles também foram suspensos, mas foram criados 50 espaços para camping, para os trabalhadores.

No final o diretor Thomas Dourou disse que não pretende processar a jornalista. Segundo ele o próprio artigo demonstra falta de credibilidade.

Segue o link com as explicações do diretor do Château Palmer:

https://rue89bordeaux.com/2020/10/le-chateau-palmer-nie-toute-maltraitance-envers-les-saisonniers-espagnols/

quarta-feira, outubro 07, 2020

Marchesi di Barolo 2015 - Piemonte - Itália





 

Se o Barolo é chamado de "O Rei dos Vinhos Italianos" deve ser por um ótimo motivo. Afinal, a Itália produz grandes vinhos e ser rei por lá não seria coisa muito fácil.

O Barolo tem a cor que lembra um Pinot Noir e uma potência de taninos incrível. É um vinho que envelhece muito bem e merece o apelido.

Esse é um dos tradicionais da região. Quando digo tradicional me refiro a estilo e a tradição de fato.

A tradição nesse caso do Barolo se divide entre os produtores que usam barricas francesas pequenas, que são chamados de modernos, e os que usam tonéis grandes (normalmente produzidos na Croácia, numa região chamada Slavonia, o que provoca confusão entre enófilos que confundem com Eslovênia, que não cultiva bosques de carvalho e nem produz barricas), chamados tradicionais.

A Marchesi di Barolo tem outros rótulos, inclusive divididos por uvas de sub-regiões, no caso deste rótulo a tradição é a bandeira.

No nariz você pode encontrar aromas de bosque, framboesa, amora, tabaco, canela e um toque floral.

Na boca é seco, taninos finos que não se escondem, boa acidez, sabor intenso e álcool um pouco saliente.

O final é persistente e o vinho é jovem.

Nota: 91 


segunda-feira, outubro 05, 2020

Trabalhadores espanhóis reclamam de maus-tratos na colheita do Château Palmer



O Château Palmer, um Grand Cru Classé de Margaux, está sendo acusado de maus tratos aos funcionários temporários da colheita.

A notícia saiu no Jornal Público, da Espanha.

Na reportagem de Alejandra de la Fuente, os trabalhadores espanhóis, a maioria da Andaluzia, reclamam que eram insultados, faltava água e as medidas de segurança não eram respeitadas.

Contaram que logo que chegaram foram avisados de que não receberiam nem alojamento e nem comida por conta do coronavirus.

Mesmo assim aceitaram ficar, mas a situação era ainda pior. Desde o primeiro dia, não receberam nem uma garrafa de água.

Uma trabalhadora contou ainda que eram insultados o tempo todo. Riam, chamavam de mortos de fome e até de filhos da Puta.

Um dos trabalhadores relatou que nem banheiro podiam usar e que faziam as necessidades entre as vinhas.

Quando o trabalho terminava, tinham 1 ducha para 120 pessoas.

A noite os trabalhadores dormiam onde conseguiam, em carros, barracas e até mesmo na rua.

As mulheres reclamaram inclusive de assédio sexual.

Todos os anos cerca de 14 mil espanhóis vão para a França trabalhar nas colheitas.

A reportagem do Jornal O Público tentou falar com o Château Palmer e não teve resposta.

Link da reportagem completa no Jornal Público:

https://www.publico.es/economia/temporeros-espanoles-vina-francia-denuncian-abusos-insultos-falta-alojamiento.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=publico&fbclid=IwAR2DXOh-Imune5qpTUNaRBah0CnTgcv02CqY72hXXdUDkGZZXXO6oEbRMgc



quarta-feira, setembro 30, 2020

Redoma 2014 - Douro



 

Eu sempre acredito que o bom produtor é um selo de qualidade. Do vinho mais barato ao mais caro, ele não se permite fazer um vinho que não seja bom, ou muito bom.

O Redoma é filho da Niepoort. Esse 2014 estava delicioso.

As uvas vem de vinhedos de mais de 70 anos, com castas misturadas: Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz, Tinta Cão e outras.

No nariz cereja, ameixa, um toque floral e de pimenta.

Na boca é encorpado, os taninos são firmes, mas com textura fina e granulada. Uma parte do vinho foi vinificada com o engaço (a parte verde do cacho). Tem boa acidez, sabor intenso repetindo o olfato e excelente persistência.

Um super Vinho!

Nota: 94

Preço: de 450 a 530 (safra 2016) na Grand Cru https://www.grandcru.com.br/products/vinho-tinto-niepoort-douro-redoma-tinto-2016-750-ml

quarta-feira, setembro 23, 2020

Morreu Pierre Troisgros, o precursor da Nouvelle Cuisine. E eu tenho uma história pra contar.





Pierre Troisgros, tinha 92 anos. 

Era considerado um dos 3 grandes chefs da história da gastronomia, junto com Joël Rebouchon e Paul Bocuse (amigo de Pierre e ícone da Nouvelle Cuisine). 

Era o único vivo.

O restaurante Maison Troisgros, em Roane, tem 3 estrelas Michelin desde 1968 e já foi considerado o melhor restaurante do mundo.

Eu conversei com Pierre Troisgros e a conversa foi inesquecível por dois motivos.

Primeiro por estar diante dele. 

Em segundo lugar, porque a entrevista não foi gravada, talvez pela emoção.

Eu estava no Toques et Clochers, em Limoux.

O evento é composto por uma degustação de vinhos base de espumantes, um leilão das barricas que foram degustadas e um grande jantar de gala, com presença de chefs estrelados para provar pratos de chefs estrelados convidados.

Toda a renda vai para a restauração de uma torre medieval, das tantas que existem na região.

No ano em que fui, o Rio de Janeiro foi homenageado, e portanto, os chefs convidados eram: Claude Troisgros (filho do Pierre), Rolland Villard e Roberta Sudbrack. Uma brasileira e dois franceses com uma grande história no Brasil.

Conversei com o Claude Troisgros e perguntei se poderia entrevistar seu pai. Ele sempre gentil me respondeu que sim, mas desde que fosse em francês.

Topei na hora, era o que eu queria.

Liguei a câmera (será?), fiquei frente a frente com a história da gastronomia, respirei fundo e comecei.

Foram cerca de 10 minutos de encantamento. Cada palavra, sempre muito bem pronunciada, sempre dirigida com elegância, cada história... Parece que senti o gosto do Saumon à L'Oseille. Foi o primeiro prato que estampou o principal jornal da época com os dizeres: Nasceu a Nouvelle Cuisine... 

Era um senhor, sorridente e gentil.

Terminei a entrevista, agradeci profundamente e voltei para minha mesa. 

Quando liguei a câmera para ver o que tinha gravado, não tinha nada.

Algumas vezes acontece de achar que o REC está apertado e não está, mas não poderia ter sido desta vez.

Erro fatal. Imperdoável.

Não tive coragem de voltar, de perguntar tudo de novo, de incomodar...

Conversei com outro jornalista, um francês que estava na minha mesa, para saber se ele poderia fazer a entrevista e dividiríamos. 

Ele respondeu que o significado de Pierre era tão grande, que ele teria que refletir...

Medroso...

Logo depois ele me negou a ajuda.

Mais um pouco depois e vi com meus próprios olhos ele gravando com o celular, cara a cara com o grande Pierre...

Coisas da vida. 

Não era para ter sido gravado.

Abaixo a reportagem que fiz no Toques et Clochers, com a presença do Pierre.






sexta-feira, setembro 18, 2020

Foi um sucesso o lançamento do Guia Descorchados.




O Guia Descorchados 2020 fez um lançamento super organizado e super seguro.

As degustações começaram no horário marcado, terminaram no horário previsto e o uso dos recursos on line funcionou perfeitamente.

Aqui no Brasil estavam Christian Burgos (editor do Guia) e Eduardo Milan (um dos degustadores da equipe de Patricio Tapia).





Patricio, comentava os vinhos direto do Chile e chamava para participar o enólogo do vinho degustado, que poderia ser Brasil, Chile, Argentina ou Uruguai.

Tudo funcionou perfeitamente.

Distanciamento, máscara antes e após a degustação, álcool gel, lenço de papel, cuspideira individual...

Os vinhos muito bem escolhidos entre os destaques do Guia.



O Guia, que já é uma referência entre os vinhos da América do Sul, está maior, mais completo e mais obrigatório para o amante do vinho.

As degustações aconteceram de Segunda a Quarta desta semana. 

Na degustação que participei, esses foram os vinhos:




sábado, setembro 12, 2020

Barca Velha 2011 chega ao mercado português com muita expectativa.





O maior ícone de Portugal chegou ao mercado na semana passada. 

O enólogo Luis Sottomayor não poupou elogios ao vinho, que só é engarrafado em anos especiais.

Com frases como "Chegou o Leão" e "Único e Extraordinário", o enólogo apresentou o vinho na Quinta da Leda, de onde saem as uvas para a produção do vinho.

É o vigésimo Barca Velha da história, que começou no ano de 1952 criado pelo visionário Fernando Nicolau de Almeida.

Eu entrevistei o Luis Sottomayor sobre o ícone português.

Vale assistir:




sexta-feira, setembro 11, 2020

José Zuccardi Malbec 2014 - Mendoza

 


Houve um tempo em que o vinho Zuccardi Zeta era o grande vinho da Zuccardi. 

Com a construção da bodega Piedra Infinita e os vinhedos do Valle de Uco a todo vapor, o Zeta continuou excelente, mas ganhou companhia de outros vinhos modernos elaborados pelo Sebastián Zuccardi.

Sebastián recebeu o apoio incondicional do pai na construção cara e trabalhosa da nova bodega e nada melhor para homenagear um dos grandes visionários argentinos com o nome de um vinho.

José Zuccardi é a grande homenagem que José Alberto recebeu do filho. 

O vinho continua impecável como sempre foi o Zeta, agora produzido no Valle de Uco.

95% Malbec, 5% Cabernet Sauvignon. 

O vinho descansou em concreto e em tonéis grandes de carvalho.

A cor já entrega que é um vinho concentrado e encorpado. Cor rubi intensa, escura na borda e no centro.

No nariz notas de amora, alcaçuz, violeta...

Na boca é encorpado, taninos potentes com textura granulada fina, excelente.

É um vinho moderno, com boa acidez, tem potência mas não é pesado.

É longo e equilibrado.

Nota: 93

Importadora Grand Cru: 

https://www.grandcru.com.br/products/vinho-tinto-jose-zuccardi-malbec-2015-750-ml


quinta-feira, setembro 10, 2020

Cono Sur Bicicleta Pinot Noir Reserva 2018 - Chile





A Cono Sur tem uma longa história com a variedade Pinot Noir.

Foi nas terras da Cono Sur, no Fundo Chimbarongo, que foram plantadas as primeiras mudas de Pinot Noir, clone Pommard da França, em 1968. 

Chimbarongo significa Vale da Neblina no idioma Mapuche.

Esse é um Pinot Noir bem típico, com cor rubi clara, nariz bem frutado com notas de framboesa, morango e um toque defumado e de couro.

Na boca é macio, tem corpo médio e excelente acidez.

Os taninos são macios, granulados com excelente textura.

Boa intensidade de sabor com as notas sentidas no nariz se repetindo na boca e persistência média.

Passou 9 meses em barricas francesas.

Excelente relação qualidade/preço.

Nota: 88

Preço: cerca de 60 reais.

Importador: https://www.lapastina.com/produtos/vinhos/cono-sur-bicicleta-pinot-noir

Preço: 

Na gravação do documentário, Chile - Terroir, Personagens, Histórias, Vinhos... Visitei a Cono Sur e conversei com o enólogo Adolfo Hurtado.




quarta-feira, setembro 09, 2020

O bom e barato Romariz 2018 - Douro DOC - Portugal

 



Menos de 50 Reais?

Pode dar o troféu de melhor compra pra ele.

No nariz cereja, bergamota, violeta e um toque de cedro e tabaco.

É puro Douro!

Na boca tem corpo médio, sensação levemente adocicada no primeiro gole e boa textura.

Taninos macios, boa acidez e sabor intenso de frutas vermelhas principalmente.

Persistência média.

Corte com Tinta Roriz, Touriga Francesa, Touriga Nacional e Tinta Barroca.

Nota: 88

Preço? 47 reais no Makro.

Vale cada centavo!

terça-feira, setembro 08, 2020

Michele Carraro Edizione Limitada Tannat 2015 - Vale dos Vinhedos

 


Eu sempre achei muito difícil encontrar vinhos de pequenos produtores em São Paulo. 

Estranho, estamos no mesmo país. 

Esse chegou como amostra para eu provar e me surpreendeu, assim como o espumante também produzido por eles e que vou postar em outra ocasião.

Esse Tannat tem boa intensidade aromática, com as frutas negras, como amora e mirtilo aparecendo na frente, mas logo acompanhadas de um toque tostado e de baunilha.

Na boca tem corpo entre o médio e o encorpado, boa acidez e uma textura de taninos macia, muito agradável.

Bom equilíbrio e persistência média.

Nota: 89

https://www.michelecarraro.com.br/

quinta-feira, agosto 27, 2020

Anna's Way Sauvignon Blanc 2017 - Marlborough - Nova Zelândia

 


Gostei bastante desse vinho. Normalmente os vinhos da Nova Zelândia com a uva Sauvignon Blanc conseguem a medida certa entre a fruta e o toque vegetal típicos da variedade.

Esse tem o maracujá, um toque de manga e também as notas de aspargos e grama recém cortada.

Na boca tem corpo médio, ótima acidez, sabor intenso principalmente maracujá e boa persistência.

É um vinho equilibrado e fresco.

Importado pela Evino.

Nota: 89 

quinta-feira, agosto 20, 2020

Morreu Celso La Pastina. O mundo do vinho está triste.

 


Celso La Pastina tinha 61 anos e morreu por causa da Covid19.

Celso era o dono do Grupo La Pastina, importadora de vinhos e alimentos que também inclui a World Wine e a Enoteca Fasano.

A empresa foi fundada em 1947, pelo pai e se tornou uma das mais importantes do país.

Celso deixa a mulher e 4 filhos.

É importante as pessoas entenderem que a Covid é perigosa e que é preciso respeitar o que dizem os médicos e especialistas. 

Deixo aqui uma entrevista que fiz com o Celso em agosto de 2015, cheio de planos e valentia para enfrentar o sobe e desce da economia brasileira.


Foto: GoWhere

terça-feira, agosto 18, 2020

Maturana Wines 2011 - Chile



Esse vinho da D.O. Cachapoal Valley, do Chile, é um bom exemplo do que pode acontecer de bom com uma uva Carménère plantada no lugar certo e com o vinho elaborado com sabedoria.

O José Ignacio Maturana conhece do assunto e faz esse vinho de forma artesanal.

Tem 72% de Carménère e 28% de Cabernet Sauvignon.
No nariz eucalipto, cassis, cogumelo, tabaco e alcaçuz.
Na boca tem corpo entre o médio e o encorpado, boa acidez, taninos finos e macios.
O sabor é intenso com notas terciárias bem integradas com a fruta.
Cogumelo, defumado, tabaco e um toque terroso.
É equilibrado, longo...
Maduro. Pronto pra beber.
Super vinho!
A garrafa é numerada: 0674 das 3453 produzidas.
Nota: 93 pontos

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | hospedagem ilimitada gratis